A Copa dos Goleiros: saiba mais sobre os heróis das semifinalistas do Mundial

Nem só de craques vive a Copa do Mundo: goleiros fizeram a diferença na campanha dos semifinalistas (Foto: Getty Images)

Nos próximos dois dias, o funil da maior competição esportiva do planeta chegará ao ponto máximo de aperto e apenas duas equipes passarão por ele para alcançar o sonho de disputar a máxima glória do futebol: o título de campeã da Copa do Mundo em 2018. França e Bélgica se enfrentam já nesta terça (10), às 15 horas, em São Petersburgo. Já Croácia e Inglaterra sobem ao gramado do Luzhniki nesta quarta (11), no mesmo horário. Quando a bola rolar para as duas partidas, os olhares do mundo inteiro estarão atentos a cada movimento de craques como Mbappé, Hazard, Modric e Harry Kane. Mas é do outro lado do campo que estarão em ação aqueles que fizeram a diferença para que franceses, belgas, croatas e ingleses ficassem a dois passos da taça: os goleiros.

Aos 26 anos, Courtois segurou Neymar e cia. com nove defesas e despachou o Brasil de volta para casa (Foto: Getty Images)

A começar por Thibaut Courtois. Com seu 1,99m de altura, o goleiro belga é o esteio de uma retaguarda difícil de bater, apesar dos cinco gols sofridos neste Mundial, pior marca entre os semifinalistas. Mas a frieza dos números não dá conta de medir a importância de Courtois na campanha belga – a melhor do país em mundiais, igualando-se à de 1986. Por dois momentos, o arqueiro de 26 anos foi fundamental para que os Diabos Vermelhos seguissem adiante. Primeiro, na partida de oitavas de final contra o Japão. Com mais de 48 minutos no segundo tempo, Courtois usou sua altura para ajudar a defesa, como sempre, interceptando um cruzamento para a pequena área belga. A 30 segundos da prorrogação, ele não se afobou e visualizou a movimentação de De Bruyne. Com um lançamento na medida, iniciou o contra-ataque mortal que eliminaria os nipônicos e levaria a Bélgica para enfrentar o Brasil. Contra a Seleção, mais uma vez, o jogador do Chelsea, da Inglaterra, foi fundamental ao segurar a equipe que mais finalizou nesta Copa. Ao todo, foram nove defesas. A última delas, no chute colocado de Neymar, no ângulo. Um tapinha de mão trocada impediu que os brasileiros conseguissem o empate e conduziu a Bélgica, pela segunda vez na história, a uma semifinal de Copa.

Com mais de 100 jogos pela França, Lloris é o único goleiro que, como capitão, pode erguer a taça (Foto: Getty Images)

Mas, nesta terça, do outro lado do campo, Courtois terá como adversário um velho conhecido do futebol inglês. Goleiro do Tottenham, Hugo Lloris finalmente chega a uma semifinal na sua terceira participação em mundiais. Criticado pela imprensa francesa às vésperas do torneio, o arqueiro de 33 anos não foi chamado muitas vezes ao trabalho na primeira fase, sofrendo apenas um gol, de pênalti, contra a Austrália. Nas oitavas, porém, Lloris foi vazado três vezes pelo ataque argentino, em uma atuação defensiva que preocupou os campeões de 1998. No entanto, contra o Uruguai, o goleiro francês voltou a se mostrar no melhor de sua forma. Quando o jogo ainda estava 0 a 0, Caceres cabeceou forte, no cantinho. O zagueiro Varane admitiria depois que achou que a bola entraria, mas viu seu companheiro de seleção voar de maneira espetacular no canto direito para fazer uma defesa que parecia impossível. No rebote, ainda se atirou aos pés de Godín, induzindo o uruguaio ao erro na conclusão. Caso consiga parar, nesta terça, o ataque formado por Hazard, De Bruyne e Lukaku, o capitão da seleção francesa ficará a um jogo de usar as mesmas mãos que defenderam os Bleus em 103 jogos para levantar a taça de campeão do mundo.

Recordista, Danijel Subasic já defendeu quatro pênaltis em disputas nesta Copa para trazer a Croácia às semis (Foto: Getty Images)

Do outro lado da chave, quando a Croácia entrar em campo terá, oficialmente, em sua meta um recordista. Após defender o pênalti (mal) cobrado por Smolov, Danijel Subasic se tornou, ao lado do argentino Goycochea, o goleiro que mais defesas realizou em disputas de pênaltis em um só Mundial: quatro. As outras três aconteceram no desempate do duelo contra a Dinamarca. Mas foi no duelo de quartas de final que o goleiro do Monaco (FRA) se destacou mais. Após sentir um problema muscular na coxa, aos 44 do segundo tempo, ele permaneceu em campo durante o fim do jogo e toda a prorrogação, fazendo, ao menos, três importantes intervenções antes das penalidades. Assim, mesmo em uma seleção que conta com o talento de Modric e Rakitic, é possivelmente o arqueiro do Monaco-FRA o grande responsável pela histórica campanha na Rússia que iguala o feito dos estreantes em 1998, ao alcançar as semifinais do torneio.

Pickford acabou com a maldição inglesa de não vencer nos pênaltis e, depois, brilhou na vitória sobre a Suécia (Foto: Getty Images)

Em contraste com a experiência de Subasic, a Inglaterra aposta no jovem Jordan Pickford, que, aos 23 anos, simplesmente mudou as perspectivas inglesas no Mundial. Escolhido como titular pelo técnico Gareth Southgate às vésperas da Copa, o goleiro do Everton (ING) se destaca pela explosão para fazer as defesas que mantêm vivo o sonho do bicampeonato do English Team. Acostumados aos desastres de sua seleção, os ingleses parecem finalmente acreditar na possibilidade de título depois que Pickford destruiu, na decisão contra a Colômbia pelas oitavas, uma das maiores maldições do futebol na Terra da Rainha. Com a defesa na penalidade cobrada por Bacca, o jovem arqueiro levou a seleção a sua primeira vitória em disputa de pênaltis na história dos Mundiais. Depois, nas quartas, garantiu, com três brilhantes defesas em finalizações de Berg e Toivonen, a passagem da equipe às semifinais pela primeira vez desde 1990.

 

SEMIFINAIS DA COPA DO MUNDO 2018

França x Bélgica

Terça, 10/07, às 15 horas

Estádio de São Petersburgo

Croácia x Inglaterra

Quarta, 11/07, às 15 horas

Estádio Luzhniki (Moscou)