Abel mexe bem, Pablo Dyego brilha e Flu vence por 3 a 0 na Copa Sul-Americana

Autor do terceiro gol da partida, Pedro chegou ao seu oitavo tento no ano, se igualando a Marcos Júnior como artilheiro do Fluminense na temporada | Mailson Santana (FFC)

A estrela do treinador Abel Braga brilhou! Após um primeiro tempo sonolento e truncado, o técnico mexeu bem na equipe, o que resultou na vitória do Fluminense por 3 a 0 contra o Nacional Potosí, no Maracanã, na estreia pela Copa Sul-Americana. As entradas do meia Matheus Alessandro e do atacante Pablo Dyego, no meio do segundo tempo, mudaram completamente a partida. Principalmente, a do atacante, que marcou um gol e sofreu falta que gerou a expulsão de Alaca. Com o resultado, o Tricolor das Laranjeiras construiu boa vantagem para o jogo da volta em Potosi, na Bolívia.

A etapa inicial da partida foi muito truncada e com poucas oportunidades de gol. O Nacional Potosí veio para jogar na retranca e com um time de pouca qualidade técnica não oferecia perigo ao Fluminense. O Tricolor das Laranjeiras não soube superar a marcação boliviana e tomado pela afobação cometia muitos erros, principalmente nos passes. Com as excessivas faltas, o jogo não fluía para ambos os lados. A única chance de perigo do primeiro tempo só foi ocorrer aos 46: Sornoza levantou na área e Gum desviou de cabeça, obrigando Romero a fazer grande defesa.

O segundo tempo iniciou com o Fluminense tentando pressionar a equipe boliviana. Porém, o Nacional satisfeito com o empate se segurava da maneira que podia e tentava retardar ao máximo as reposições de bola, postura que irritava os jogadores tricolores. Aos 14, Romero foi punido com cartão amarelo, após muita cera. Aos 18 minutos, o Tricolor das Laranjeiras teve boa oportunidade com Pedro, que dividiu com o goleiro e cabeceou para fora.

Observando que o Nacional não oferecia perigo, o técnico do Flu, Abel Braga, colocou a equipe para frente, pondo o meia Matheus Alessandro e o atacante Pablo Dyego. A estrela do treinador apareceu. No primeiro toque dado na bola, aos 27, Pablo Dyego complementou para o gol após cabeçada de Renato Chaves: 1 a 0 Fluminense. O atacante de 24 anos entrou inspirado e aos 31, quase fez uma pintura ao chapelar o defensor e emendar uma bicicleta que explodiu no travessão. Alguns minutos depois, o goleador ainda causou a expulsão de Alaca, após falta sofrida.

Com um a mais, o Flu conseguiu o espaço que tanto queria. O segundo gol foi questão de tempo. Aos 36, Sornoza cruzou, Renato Chaves novamente desviou de cabeça, e Gum, também de cabeça, ampliou o placar: 2 a 0 Fluminense. A torcida do Tricolor das Laranjeiras pedia mais um e foi atendida. Aos 43, Renato Chaves foi puxado por Jorge Flores na área e o juiz deu pênalti. Pedro bateu forte no alto e fez 3 a 0 fechando o caixão da partida.

O Fluminense joga a partida de volta contra o Nacional Potosí no dia 10 de maio, às 21h:45, no Estádio Víctor Agustín Ugarte, em Potosí. A altitude boliviana preocupa o tricolor, já que o campo está localizado a 3.960 metros do mar.

Fluminense 3 x 0 Nacional Potosí-BOL

Estádio Maracanã

Árbitro: Nicolas Gallo  (COL)

Assistentes:  Eduardo Diaz  (COL) e  John Alexander Leon (COL)

Fluminense: Júlio César; Renato Chaves, Gum, Ibañez; Gilberto, Richard, Jadson (Matheus Alessandro), Sornoza (Douglas), Ayrton Lucas; Marcos Júnior (Pablo Dyego), Pedro. Técnico: Abel Braga.

Nacional Potosí: Romero; Brian Meza (Thiago dos Santos), Montenegro Medina, Galaín, Alaca; Galvis (Saul Torres), Salazar, Edson Pérez, Jorge Flores; Piñero Da Silva, Reina. Técnico: Pérez Garcia.

Cartões amarelos: Gum, Jadson, Pablo Dyego (Fluminense); Galvis, Reina, Romero, Alaca, Jorge Flores, Galain (Nacional Potosí)

Cartões vermelhos: Alaca (Nacional Potosí)

Gol: Pablo Dyego – Fluminense (27/2º tempo); Gum – Fluminense  (36/2°tempo) Pedro (43/2°tempo).

Público: 6.400 pagantes e 6.892 presentes.

Renda: R$ 178.265,00