Alexandre Araújo: Os dois lados da moeda!

“Esse menino aí é uma promessa, joga muito”. Já criamos a perigosa expectativa. Torcedores e jornalistas tendem a bajular e, às vezes, quebram a cara.  Se essa joia é comprada por um valor astronômico, as cobranças tendem as crescer ainda mais. E se esse tal futuro do futebol não explode ou da menos frutos do que o esperado, gera a frustração. Vinícius Jr, com apenas 17 anos, é a maior revelação da Gávea nos últimos anos.

O Mengão até ressuscitou o lema “Craque o Flamengo faz em casa”.  Depois de algumas atuações apagadas, a própria torcida  rubro-negra perdeu a paciência com o jogador. Os rivais passaram a gozar o Real que pagou uma bolada por um menino. Até o pobre Negueba, ex-jogador do Flamengo, entrou na história. Negueba tinha alegria nas pernas, mas não explodiu para o mundo do futebol. Não virou um craque, mas faz uma carreira honesta no meio. A moeda tem dois lados. Da noite para o dia, Vinícius Jr virou o “Neguebinha Jr”.

De craque, com alto valor no mercado, virou uma promessa que não vingou. Mas ainda é muito cedo para dizer se o jogador vai seguir os passos de Negueba ou vai se tornar um novo Neymar em alguns anos. O torcedor muda de opinião da noite para o dia. É preciso dar tempo a bola e esperar se vai haver regularidade e evolução. As oscilações são constantes num jogador com tão pouco tempo de vida nos gramados.

Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar. Em nosso imediatismo criamos ídolos na velocidade da luz. Mas, também criamos monstros numa mínima derrapada. Vinícius Jr acabou com o Emelec, fez gols de placa e novamente já foi alçado ao patamar de gênio. Até os jornais espanhóis compararam o jogador a Ronaldo, o fenômeno. Não é um mal apenas do brasileiro. Vinícius Jr precisa crescer, rodar, ganhar mais experiência.

O garoto tem talento, tem bola, mas calma lá com qualquer tipo de julgamento! Para virar um Neymar ou um Ronaldo pode ser apenas uma questão de tempo. E para se tornar um Negueba, promessa de jogador que não vingou como esperado, também é injusta fazer essa analogia tão precoce.

Deixa o moleque jogar!