Alexandre Araújo: Palcos da Copa da Rússia – Kaliningrado: a “little Rússia“

A cidade de Kaliningrado possui o menor estádio da Copa do Mundo. A Kaliningrado Arena ou Arena Baltika, localizada a apenas 45 quilômetros da fronteira com a Polônia, tem capacidade para 35.212 torcedores. Após a competição, parte do telhado será removido e o estádio terá a capacidade diminuída para 25 mil lugares.

A construção se encontra em Oktiabrski, uma ilha situada no coração da cidade que teve de ser drenada porque o local era um grande pântano. A arena vai receber apenas quatro jogos da fase de grupos: Croácia x Nigéria, Sérvia x Suíça, Espanha x Marrocos e Inglaterra x Bélgica. O único clube de Kaliningrado se chama FC Baltika Kaliningrado e foi fundado em 1954, mas só ganhou esse nome em 1958 e antes se chamava Pishchevik Kaliningrad. Atualmente, está na segunda divisão do Campeonato Russo.

Fundada em 1255, pelos Cavaleiros Teutônicos (Ordem dos Cruzados germânicos) sob o nome de Konigsberg (que em alemão significa “Montanha do Rei”) a região pertenceu à Polônia de 1466 a 1656. A cidade foi capital da Prússia Oriental e, a partir de 1871, fez parte do Império Alemão. Durante a II Guerra Mundial, foi arrasada pelos bombardeios britânicos e invadida em 1945 pelo Exército Vermelho. Seu nome faz referência a Mikhail Kalinin, revolucionário bolchevique amigo de Stalin e um dos quatro fundadores da União Soviética.

Kaliningrado faz fronteira ao norte e a leste com a Lituânia, ao sul com a Polônia e a oeste com o mar Báltico. A cidade guarda antigos portões e fortificações, datados do século XVII. A arquitetura gótica e soviética chama a atenção. Uma das principais atrações turísticas da cidade é istmo da Curlândia, na fronteira com a Lituânia. Para os mais religiosos, vale a pena visitar as igrejas ortodoxas. O Dohna Tower Gate, onde está situado o Museu do Âmbar, é um ponto de visita interessante. No local há mais de seis mil peças, entre esculturas, joias e um antigo mural do palácio de Frederico Guilherme I, rei da Prússia no século XVII. Já o imponente Friedrichsburg Gate, com fachada em arcos e torres, localizado às margens do rio Pregolya, abriga o Museu Oceânico, com peças remanescentes do século XVII. Outra parada obrigatória é a Ilha de Kant, batizada em homenagem ao filósofo Immanuel Kant, que nasceu por aqui. A ilha está cercada por canais formados pelo rio Pregolya. Sua principal atração é a catedral de 1333, tombada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

 

Quem quiser conhecer a cidade saindo de Moscou, há voos a partir de R$ 300 e o tempo de viagem dura em média 1h55. Se você optar por trem, prepare-se! A viagem dura cerca de dezenove horas.