Alexandre Araújo: Palcos da Copa da Rússia – Moscou, o sonho do hexa passa por lá

Chegamos no último capítulo da nossa série sobre os estádios da Copa e a parada final não poderia deixar de ser Moscou, capital da Rússia, e palco da abertura e da decisão do mundial de 2018. Palco da cerimônia de abertura da Olimpíada de 1980, o estádio Luzhniki, construído na década de 1950, comporta 81.006 pessoas, sendo o maior e principal estádio do Mundial. Ele abrigará a grande final, além do jogo de abertura, uma semifinal, uma oitava de final e mais quatro jogos da fase de grupos: Rússia x Arábia Saudita, Alemanha x México, Portugal x Marrocos e Dinamarca x França. O antigo Estádio Central Lênin está localizado próximo à estação de metrô Sportivnaya, de fácil acesso para os torcedores. Depois do Mundial, nenhum clube vai mandar seus jogos na arena, que ficará à disposição da seleção russa.

Segundo palco da Copa do Mundo na capital russa, o estádio do Spartak também tem poucos anos de uso, uma vez que foi construído a partir de 2010 e inaugurado em 2014 para ser a nova casa do tradicional clube. Com fachada parecida com o estádio do Bayern de Munique, na Alemanha, o local muda suas cores externas quando recebe partidas da seleção russa. Na Copa, ele receberá uma partida das oitavas e quatro partidas da fase de grupos: Argentina x Islândia, Polônia x Senegal, Bélgica x Tunísia e Sérvia x Brasil.

Moscou é a maior cidade do país, a segunda mais populosa de toda Europa, atrás apenas de Istambul, na Turquia, e a sexta em âmbito mundial neste quesito. O local é um importante centro político, econômico, cultural, científico, religioso, financeiro, educacional e de transportes do continente europeu – o único com dois estádios da Copa 2018. É lá também que está concentrada a segunda maior comunidade de milionários do mundo. A cidade está situada sobre o Rio Moscou e serviu como capital de diversos Estados no passado, como da Moscóvia medieval, do subsequente Czarado da Rússia e da União Soviética. Durante a Guerra Fria, Moscou foi o centro do chamado Bloco do Leste.  Por ano, estima-se que Moscou receba pouco mais de 18 milhões de turistas, sendo que o turismo na cidade cresceu 40% nos últimos anos.

A capital russa tem alguns dos pontos turísticos mais conhecidos do Leste Europeu, como a Praça Vermelha, famosa pelos desfiles militares nos tempos de União Soviética, que fica à frente do Kremlin, residência oficial do presidente da Rússia e uma espécie de complexo de galerias, museus e até catedrais com peças que retratam a história da cidade e do país.  Na mesma região, uma das mais visitadas do país, está a Catedral de São Basílio. Vale conferir O teatro do Ballet Bolshoi, o mais prestigiado e conhecido corpo de ballet do mundo. No teatro é possível assistir apresentações de ópera e também da própria companhia, ideal para viagens românticas a Moscou. O complexo “Sete Irmãs” possui sete grandes prédios que podem ser vistos praticamente de qualquer parte da cidade de Moscou. Com estilos góticos, eles foram construídos entre os anos de 1947 e 1953 a pedido de Stalin para a comemoração dos 80 anos do regime comunista. Atualmente, cada um deles possui uma ocupação diferente como hotel, universidade e residência, entre outras atividades turísticas. O passeio de barco pelo Rio Moscou é uma das atrações mais procuradas pelos turistas, já que no percurso de aproximadamente 1h30 é possível visualizar pontos importantes e belos da cidade, como museus e catedrais.