Alexandre Araújo: Palcos da Copa da Rússia – Rostov, “ a cidade da morte”

A seleção brasileira começa sua caminhada rumo ao hexa, dia 17 de junho, contra os suíços, em Rostov-on-Don. A Arena tem capacidade para 45 mil torcedores e foi inaugurada em 2017. Além do jogo do Brasil, o estádio vai receber os jogos entre Uruguai x Arábia Saudita, Coreia do Sul x México, Islândia x Croácia, além de uma partida da fase de oitavas-de-final. Como a maior parte dos estádios que irão sediar as partidas, a Arena foi construída especialmente para a competição e custou cerca de R$ 1,488 bilhão.

Dividida em oito distritos, a cidade de Rostov-on-Don está localizada em uma província de mesmo nome ao Sul da Rússia.  Fundada em 1749, Rostov teve forte crescimento industrial devido o porto do rio Don, que banha a cidade. Também é chamada “cidade dos 5 mares” — o de Azov, o Negro, o Cáspio, o Báltico e o Branco. Considerada uma das regiões mais emergentes da Rússia, Rostov sedia importantes indústrias de construção naval, químicas, maquinaria agrícola e materiais de construção. É lá também onde os cossacos, uma classe militar importante para a expansão russa, mantém suas tradições.

Mas nem tudo são flores. Rostov é também conhecida como “A cidade da morte” ou a “Casa dos Maníacos”. O mais famoso serial killer russo, Andrei Chikatilo, conhecido como o Açougueiro de Rostov, nasceu por aquelas bandas. Ele foi responsável pela morte de mais de 50 pessoas entre os anos de 1978 e 1990. Em 1994, foi condenado à morte e fuzilado.

Para os brasileiros que vão visitar a cidade, durante o mundial, vale a pena dar um pulo na Catedral da Natividade da Santíssima Virgem Maria, um dos cartões postais de Rostov. Os turistas também devem conhecer a chamada “Broadway” local, ou seja, a visitar o fantástico Parque da Revolução e andar na 3ª maior roda-gigante na Rússia. Uma boa dica para matar a fome é visitar o Mercado Central.  Como Rostov está próxima ao Rio, é possível encontrar uma enorme variedade de peixes. Rostov tem uma vida noturna agitada. No “Linha de Bares” no centro da cidade, os turistas podem visitar os estabelecimentos da cidade velha. Na Avenida Gazetny, por exemplo, há uma enorme variedade de tabernas, onde é possível tomar uma boa vodca ou até provar o desconhecido vinho russo.

Quem estiver na capital Moscou e quiser conhecer a cidade, há voos regulares que custam em média R$500, com duração de duas horas. Também é possível conhecer Rostov de trem, mas o tempo de viagem pula para 16 horas.