Americano bate Olaria na Bariri e segue invicto fora de casa na Série B1

Americano venceu o Olaria, fora de casa, por 3 a 1 e segue sem perder como visitante (Foto: Divulgação/Americano)

Os três jogos sem vitória se tornaram em três jogos sem perder. O Americano manteve sua campanha sem perder fora de casa na Série B1 do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro e derrotou o Olaria, em plena Rua Bariri, por 3 a 1. Mesmo com um homem a menos ao longo de toda a segunda etapa – Claudio Maradona foi expulso aos 36 do primeiro tempo –, o Alvinegro controlou o jogo e não deu chances ao time da casa.

– Os papéis se inverteram, né? Eram três jogos sem ganhar. Agora são três jogos sem perder. Tem que parabenizar o trabalho do Josué Teixeira. Nosso grupo é pequeno, mas é qualificado. Ainda não perdemos fora de casa no campeonato e é o que eu comentei antes do jogo com os demais: tem que jogar fora de casa da mesma maneira que atuamos em casa – destacou o experiente zagueiro Admilton, de atuação segura no comando de defesa do Glorioso do Parque Tamandaré, à reportagem da TV FERJ/Live Esporte ao fim do jogo.

A vitória coloca o time de Campos, momentaneamente, na vice-liderança do Grupo A da Taça Corcovado e no topo da tabela na classificação geral. Para o Olaria, o resultado negativo frente ao seu torcedor aumenta a preocupação em relação ao rebaixamento. Com apenas 12 pontos conquistados ao longo do campeonato, a equipe leopoldinense segue na 16ª posição, somados os dois turnos, ficando na alça de mira dos demais times que, neste momento, estão na zona de descenso.

O JOGO

Com mudanças, o técnico Ademir Fonseca esperava surpreender o Americano. Meia, Leandro Chaves foi escalado na lateral esquerda, Raí assumiu o comando de ataque do Olaria e o jovem Brenner ganhou oportunidade de começar jogando no trio de zaga do Azulão da Bariri. No entanto, mal deu tempo de ver se as novidades surtiram efeito. Logo aos seis minutos, Claudio Maradona foi derrubado por Bruno Costa na área. Pênalti que Marcos Vinícius converteu para colocar o Americano em vantagem: 1 a 0.

Com jogo sob controle, os campeões da Taça Santos Dumont se sentiram confortáveis. Até os 30 minutos, o goleiro Luiz Henrique ainda não havia sido acionado pelos atacantes olarienses. Em parte, devido aos muitos erros de passe da equipe da casa no setor ofensivo. Aos 31 minutos, o Americano teve falta lateral a seu favor. Enquanto todos esperavam o cruzamento, Claudio Maradona usou seu faro de artilheiro para surpreender. Bola no canto, que o goleiro Gabriel não conseguiu espalmar.

Quando o jogo parecia decidido mesmo no primeiro tempo, o Olaria reagiu. Após cruzamento, William completou para o gol e Luiz Henrique fez defesa milagrosa. No lance seguinte, porém, Maikon Aquino tentou aliviar mas acertou o braço de Rafinha. Penalidade convertida por Éberson, recolocando o esquadrão da Leopoldina no jogo, aos 35. Saída dada, Claudio Maradona tentou uma lambreta para cima de Brenner: sem sucesso. A jogada, porém, resultou em desentendimento entre os dois, Jefinho tomou as dores do companheiro de Olaria e tirou do sério o artilheiro alvinegro. Maradona acertou-o com uma cabeçada a poucos metros da presença do árbitro Tarcizo Pinheiro Caetano e recebeu cartão vermelho direto, aos 36. Nada, entretanto, que alterasse o panorama do jogo na reta final da primeira etapa.

Para o segundo tempo, Ademir Fonseca lançou mão de duas alterações: Anthony assumiu o lugar de Brenner e Lipão entrou no lugar de Jefinho. Na primeira vez em que foi lançado, Lipão partiu contra dois marcadores e, com um só toque, deixou ambos no chão. Mas, na hora do chute, pegou fraco na bola, facilitando a defesa de Luiz Henrique. A esperança trazida pelo quase gol virou caldo entornado segundos depois. No contragolpe, Maikon Aquino foi lançado, ganhou de dois zagueiros e cruzou na medida para Vandinho. O volante concluiu de prima e a pelota ainda beijou a trave antes de morrer nas redes: 3 a 1 Americano, aos 10 minutos do segundo tempo. E nem mesmo a superioridade numérica em campo foi capaz de desequilibrar o restante do jogo em favor do Olaria. Ygor ainda foi lançado no lugar de Jhonata, na intenção de dar mais velocidade ao ataque azul. Mas a defesa bem postada do Americano neutralizou completamente, sobretudo após a entrada de Bruno Vianna pelo lado esquerdo, as tentativas olarienses, levando o jogo em temperatura morna até o apito final.

Olaria 1 x 3 Americano

Taça Corcovado – 6ª rodada

Local: Estádio Antônio Mourão Vieira Filho – “Rua Bariri” (Rio de Janeiro-RJ)

Árbitro: Tarcizo Pinheiro Caetano (RJ)

Auxiliares: Rafael Sepeda de Souza (RJ) e Rafael Gomes Rosa (RJ)

Olaria: Gabriel, Yago, William, Bruno e Brenner (Anthony); Lapaz e Jhonata (Ygor); Jefinho (Lipão), Eberson e Leandro Chaves; Raí. Técnico: Ademir Fonseca.

Americano: Luiz Henrique, Sanderson, Admilton, Gabriel e Vandinho; Abuda, Rafinha, Marcus Vinicius (Bruno Vianna) e Gustavo (Paulo Vitor); Maikon Aquino (Fernando) e Cláudio Maradona. Técnico: Josué Teixeira.

Gols: Marcus Vinicius (AMN – pen. 7’/1T); Claudio Maradona (AMN – 31’/1T); Éberson (OLA – pen. 35’/1T); e Vandinho (AMN – 10’/2T).

Cartões amarelos: Bruno Costa, Brenner, Leandro Chaves, Jhonata, Jefinho e Lapaz (OLA); Luiz Henrique, Admilton, Maikon Aquino e Marcus Vinicius (AMN);

Cartões vermelhos: Claudio Maradona (AMN).