Bahia vence, mas gol de Pimpão dá esperança ao Botafogo no jogo de volta

Clayton desvia para fazer o segundo do Bahia na vitória sobre o Botafogo, na Fonte Nova (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Os goleiros fizeram a diferença na noite desta quinta (20), na Fonte Nova. Em jogo em que todos os gols contaram com falhas dos arqueiros, as defesas de Douglas pesaram em favor do Bahia, que acabou vencendo a partida de ida, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Ramires e Clayton anotaram os gols da vitória baiana sobre o Botafogo, por 2 a 1 – Rodrigo Pimpão descontou para o Alvinegro.

A partida de volta acontece no dia 3 de outubro, no Nilton Santos. No reencontro das equipes, o Bota precisará apenas de uma vitória mínima para garantir a classificação para a fase seguinte, em virtude do critério dos gols marcados fora de casa.

Com apenas quatro jogadores que iniciaram como titulares a vitória contra o América-MG, no último domingo, o Botafogo já tinha no entrosamento uma dificuldade. Pequena, no entanto, perto de um Bahia intenso e empurrado pela torcida na Fonte Nova. Prova disso é que os alvinegros mal haviam respirado e transpirado na partida quando, aos quatro minutos, o jovem Ramires, de 18 anos, aproveitou a sobra de um cruzamento. No bico da área, o garoto emendou de prima e colocou no canto de Diego que, em sua segunda partida como profissional, foi na bola, mas não evitou o gol: 1 a 0 Bahia.

O gol atordoou de vez os cariocas, que mal viam a bola nos minutos seguintes. Mas, aos 17 minutos, veio o ponto de mudança do primeiro tempo: Leo Valencia sentiu a panturrilha e foi substituído por Luiz Fernando. Com mais velocidade, o Fogão passou a criar mais problemas para a defesa baiana. De imediato, o camisa 19 arrumou escanteio. Na cobrança, Igor Rabello desviou e Nino Paraíba quase fez contra.

Aos 23, o próprio Luiz Fernando cobrou corner e Brenner, livre na pequena área, cabeceou para fora. Mas foi na reta final da etapa inicial que o Glorioso chegou perto mesmo do empate. Primeiro, novamente, com Brenner, que completou lindo lançamento de Rabello. Mais tarde, foi Pimpão que finalizou na área após grande jogada do próprio Brenner. Nos dois lances, a trave apareceu para levar o Bahia aos vestiários ainda em vantagem.

A segunda etapa começou com o Bahia assustando em bola parada. Após escanteio, Clayton desviou na primeira trave e a bola ficou viva dentro da pequena área alvinegra, até que Bochecha apareceu para cortar. Mas o lance foi só um pequeno intervalo no bom momento botafoguense da partida que se estendia desde o fim do primeiro tempo. Porque, logo aos 10 minutos, o Glorioso ficou muito perto do gol de empate. Luiz Fernando bateu falta lateral direto para o gol e Douglas espalmou pela linha de fundo. Na sequência, Lindoso centrou e, após bate-rebate, Marcelo tirou do goleiro, mas Lucas Fonseca – 200 jogos com a camisa do Tricolor – tirou em cima da linha. No lance seguinte, o Botafogo trabalhou até achar Pimpão na área, mas a conclusão do atacante saiu à esquerda.

Claro que a máxima do “quem não faz, leva” não deixaria passar. Três minutos depois, Vinicius levantou em cobrança de escanteio, Clayton desviou de cabeça e o goleiro Diego espalmou… Para dentro da própria meta: 2 a 0 Bahia. Só que pouco depois da saída de bola, foi a vez de Douglas falhar. Após cruzamento, Luiz Fernando emendou fraca bicicleta, só que o goleiro do Bahia bateu roupa e Rodrigo Pimpão – sempre iluminado em competições sul-americanas – bateu forte para diminuir.

E o Botafogo chegou muito perto do empate, quando Marcelo subiu livre para cabecear após cobrança de escanteio, mas Douglas se redimiu com grande defesa, cedendo novo corner. Nele, Marcelo tornou a completar. Desta vez com o pé direito, para nova intervenção do arqueiro tricolor. Douglas ainda apareceria aos 27, quando Pimpão recebeu pela direita e bateu cruzado, para evitar o empate.

O segundo gol alvinegro parecia questão de tempo. Ainda mais quando Léo deixou a mão no rosto de Luiz Fernando e foi expulso, aos 32. Entretanto, a paralisação para atendimento ao meia-atacante do Glorioso e definição da arbitragem pela exclusão do atleta baiano arrefeceram o momento fervente do Bota. Tanto que o Alvinegro só voltou a ter uma chance com Brenner, aos 48, mas Douglas segurou no centro da meta, garantindo a vitória para a equipe baiana.

Bahia 2 x 1 Botafogo

Copa Sul-Americana, Oitavas de Final – Jogo 1

Local: Fonte Nova (Salvador – Bahia)

Árbitro: Piero Maza (CHI).

Auxiliares: Christian Schiemann (CHI) e Claudio Ríos (CHI).

Bahia: Douglas, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Lucas Fonseca (Everson) e Léo; Gregore e Elton; Ramires, Zé Rafael (Vinicius) e Clayton (Júnior Brumado); Edigar Junio. Técnico: Enderson Moreira.

Botafogo: Diego, Luís Ricardo, Marcelo, Igor Rabello e Gilson; Jean (Aguirre), Rodrigo Lindoso e Gustavo Bochecha; Rodrigo Pimpão (Marcinho), Brenner e Léo Valencia (Luiz Fernando). Técnico: Zé Ricardo.

Gols: Ramires (BAH – 4’/1T), Clayton (BAH – 13’/2T), Rodrigo Pimpão (BOT – 15’/2T).

Cartões Amarelos: Gregore, Nino Paraíba (BAH); Jean, Bochecha, Igor Rabello (BOT).

Cartões Vermelhos: Léo (BAH).

Público: 13.725 presentes.