Botafogo pressiona, mas Cássio brilha e garante vitória do Corinthians

Grande atuação de Cássio diante do Botafogo foi primordial para vitória por 2 a 0 | Divulgação

Nos primeiros 90 minutos oficiais no comando do Botafogo, Marcos Paquetá pode se orgulhar das chances que seu time criou na volta ao Brasileirão. Mas a incompetência dos atacantes do Glorioso e a grande atuação de Cássio garantiram a vitória do Corinthians, no Itaquerão, nesta quarta (18). Rodriguinho abriu o placar logo aos três minutos de jogo e Romero sufocou a pressão carioca, ampliando pouco depois dos 30 do segundo tempo.

Estreante da noite, Marcos Paquetá mal pode mostrar a nova cara do Botafogo antes de sofrer o primeiro gol. Logo aos três minutos, a marcação carioca cochilou na disputa de bola pelo alto na entrada da área. A sobra ficou com Romero, que teve seu chute bloqueado. Mas aí ela ficou com Rodriguinho. De primeira, ele meteu de pé direito na gaveta de Jefferson: 1 a 0 Timão. O jovem Ezequiel tentou dar a resposta na mesma moeda, logo em seguida, mas seu chute da entrada da área corintiana não teve a mesma precisão que o dado por Rodriguinho. Só aos 11 minutos, usando uma velha arma, o Glorioso levou perigo pela primeira vez: Léo Valencia levantou, em cobrança de falta, e Igor Rabello subiu livre, mas a cabeçada passou por sobre o travessão de Cássio.

Com a vantagem, os donos da casa passaram a dar campo ao rival, esperando uma oportunidade de contragolpear. Enquanto ela não vinha, passaram susto em duas bolas cruzadas para Kieza. Os novos cabelos platinados do K9, no entanto, não lhe deram sorte. No lançamento de Luís Ricardo, errou o tempo da bola e acabou jogando de zagueiro. Depois, na bola parada de Léo Valencia, apareceu livre à frente do gol, mas praticamente recuou para o arqueiro adversário. Já aos 40 minutos, João Pedro tentou de longe em sua primeira real participação no jogo. Após ter passado a Copa no banco, Cássio voltou atento da Rússia e encaixou sem problemas o chute do sumido jogador botafoguense, para garantir a vantagem do Corinthians ao intervalo.

Botafogo não conseguiu vencer o Corinthians fora de casa na estreia no novo técnico | Divulgação

Para a segunda etapa, Marcos Paquetá apostou na entrada de Rodrigo Pimpão justamente na vaga de João Pedro. E foi do recém-entrado jogador a melhor chance carioca, ainda antes dos dez minutos. Léo Valencia levantou e o atacante pegou de voleio, bonito, forçando Cássio a fazer grande defesa. O lance animou o Botafogo, que tentou uma pressão, sempre com bolas cruzadas. As primeiras, alçadas no bololô, originadas por cobranças de escanteio. Mas aos 14, mais uma vez Valencia ergueu na área: livre de marcação, Gilson – titular devido à ausência de Moisés, jogador do Timão e, por isso, impedido de atuar – escorou torto e desperdiçou. Pouco para arrefecer a crescente do Fogão, que chegou a marcar com Igor Rabello. O zagueiro, porém, foi flagrado em impedimento e o gol foi anulado. Dois minutos depois, foi a vez de Ezequiel mandar para o alto uma chance de cabeceio. O segundo tempo chegou à metade, e o Fogão seguia em cima. Pimpão ganhou lance pela direita e cruzou por baixo para Kieza. O centroavante finalizou, mas foi bloqueado por Pedro Henrique na pequena área.

Após quase 30 minutos de domínio visitante, Osmar Loss resolveu mexer no time. O centroavante Jonathas veio a campo para fazer sua estreia com a camisa do Coringão e Mateus Vital deu lugar a Marquinhos Gabriel. Em sua primeira jogada, ele tabelou com Danilo Avelar, que cruzou. Fazendo péssima partida, Gilson cortou mal e entregou a pelota a Fagner. O lateral da Seleção serviu Romero e, na primeira finalização do Timão no segundo tempo, o maior artilheiro do Itaquerão fez o Botafogo pagar pela pressão infrutífera de dois terços do período complementar. O chute cruzado do paraguaio, sem chances para Jefferson, morreu no canto direito e dobrou a vantagem do Corinthians.

Gilson tentou se redimir, pegando sem-pulo aos 38, mas Cássio voltou a trabalhar bem. Aos 40, Cássio fez dois milagres que sepultaram qualquer chance de reação do Glorioso e mostraram que seria impossível vazar a meta dos donos da casa na primeira noite de Brasileirão após a Copa. Em cobrança de córner, Kieza desviou no cantinho: Cássio voou juntinho da trave para espalmar. Mas a bola sobrou com Carli, livre e com goleiro caído, No entanto, o arqueiro do Timão esticou o pé direito e, de maneira improvável, evitou o que parecia um gol certo. Dois gols a mais perdidos pelo Botafogo no jogo; três pontos a mais na conta do Corinthians para a sequência do campeonato.

Sequência que reserva ao Coringão, agora sétimo colocado, com 19 pontos, o clássico contra o São Paulo, no Morumbi, às 21 horas do próximo sábado. Em 11º, com 17 pontos, o Botafogo também tem duelo de alto grau de rivalidade pela frente, no mesmo dia. O Alvinegro Carioca pega o Flamengo, às 19 horas, no Maracanã.

Corinthians 2 x 0 Botafogo

Local: Arena Corinthians (São Paulo-SP).

Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira (CBF/SC).

Auxiliares: Helton Nunes (CBF/SC) e Thiaggo Americano Labbes (CBF/SC).

Corinthians: Cássio, Fagner,Pedro Henrique, Henrique e Danilo Avelar; Gabriel, Renê Jr. (Paulo Roberto) e Rodriguinho; Romero, Roger (Jonathas) e Mateus Vital (Marquinhos Gabriel). Técnico: Osmar Loss.

Botafogo: Jefferson, Luís Ricardo, Carli, Igor Rabello e Gilson; Rodrigo Lindoso e Matheus Fernandes; Ezequiel (Aguirre), João Pedro (Rodrigo Pimpão) e Léo Valencia (Luiz Fernando); Kieza. Técnico: Marcos Paquetá.

Gols: Rodriguinho (COR – 3’/1T) e Romero (COR – 30’/2T).

Cartões amarelos: Romero e Pedro Henrique (COR); Gilson, Matheus Fernandes e Aguirre (BOT).

Cartões vermelhos: Não houve.

Público: 20.073 pessoas.