Caionã “Blade”: O Diamante da Fusion Fight

A última edição do Watch Out Combat Show, o WOCS 52, conheceu seu novo campeão peso-galo. Considerado um diamante em lapidação pela Fusion Fight, o jovem Caionã “Blade”, morador da Vila Aliança, Zona Oeste do Rio de Janeiro, desbancou o experiente Aleandro Muça, conhecido por seu trabalho de chão apurado, vencendo por finalização no primeiro round.

Desde que passou a integrar a Fusion Fight, fusão entre Chute Boxe Rio e Gracie Barra, Caionã se manteve invicto, são quatro vitórias em quatro lutas, tudo fruto de um trabalho sólido da dupla Airton Nogoceke e Guilherme Iunes, e toda a equipe da Fusion Fight. O jovem Caionã, de apenas 22 anos, recebeu uma ajuda importantíssima de Serginho Dias, um casca-grossa do jiu jitsu, que enxergou potencial no lutador.

Com pouco tempo para treinar, devido ao trabalho que executava como auxiliar de serviços gerais em um hospital da zona oeste do Rio de Janeiro, o diamante da Fusion Fight passou a receber uma bolsa de Serginho Filho, proprietário da MF4 Blindados, com um valor equivalente ao salário que recebia no hospital, uma ajuda crucial para que o atleta pudesse se dedicar e evoluir com mais rapidez.

Caionã com os mestres Airton e Guilherme.

Com um investimento deste nível, raro de se ver no MMA nacional com lutadores que ainda estão buscando espaço, Caionã passou a se dedicar somente as artes marciais, contando com o investimento feito pela Fusion Fight trazendo para o Camp treinadores especializados em cada fundamento da luta, desde o Boxe até o Grappling. A evolução foi notada a cada luta, até, finalmente, Caionã “Blade” se consagrar no MMA nacional conquistando o cinturão do WOCS.

Com um grande ano e uma possível estreia internacional em breve e cotado para três categorias no Prêmio Osvaldo Paquetá, o lutador da Fusion Fight se mantém focado e preparado, esperando uma oportunidade de debutar em eventos como Bellator e UFC.

“A minha preparação na Fusion Fight é coisa de outro mundo. Aqui meus treinadores estão sempre preocupados com a minha evolução tática e técnica. Sei que sou jovem e que tenho um caminho longo pela frente, mas a verdade é que me sinto pronto para enfrentar qualquer um da minha categoria, no Brasil ou fora. Sou grato aos meus mestres Airton e Guilherme por apostarem em mim, devo destacar. principalmente, a ajuda que o Serginho Filho e o Sr Sergio Dias me dão. São quatro pessoas que serei eternamente grato e irei honrar em breve, a Fusion Fight terá um campeão no UFC e esse serei eu.” – Finaliza