Campeão super galo do Shooto, Glyan Alves pretende voar alto em 2018

Foto: Natalino Werneck

O Shooto consagrou o seu primeiro campeão super galo da história, Glyan Alves, de apenas 23 anos e com um cartel de 10 vitórias e apenas três derrotas. O cinturão veio após enfrentar Pedro Falcão, no main event da edição 81 da organização.O título foi inédito no Shooto, cinturão inaugural, uma categoria nova, super galo, que fica entre pesos mosca e galo.

O lutador mineiro vinha de vitória no Shooto 80 e foi escalado para enfrentar Pedro Falcão, atleta da Nova União, que vinha de cinco vitórias consecutivas, todas dentro do Shooto. Após um início movimentado, Pedro acabou deslocando o ombro direito, quando estava por baixo no trabalho de solo, e após desistência foi declarada a vitória do então novo campeão super galo, Glyan Alves, que também conquistou o cinturão do JF Fight, vencendo Mauro Leopoldo, em outubro de 2017

– Eu fiz minha estreia no mma em 2012, este foi o segundo cinturão que eu conquistei. Confesso que foi uma sensação maravilhosa, principalmente por se tratar de um dos maiores eventos de mma na atualidade. É uma honra muito grande ter este cinturão, muitas portas irão se abrir agora. – disse

Com a preparação toda feita na Master Fight, em Juiz de Fora, Minas Gerais, a conquista do cinturão veio para trazer mais visibilidade para a equipe mineira. O mestre e córner do atual campeão super galo do Shooto, é nada mais nada menos do que seu próprio pai, o mestre Santos.

Com o pai, mestre Santos. (Arquivo pessoal)

– Meus treinos são de segunda a sexta, as vezes treino aos sábados também. Quando estou em preparação para alguma luta os treinos são de segunda a segunda. Ser treinado pelo meu pai é chato (risos), cobrança forte tanto nos treinos quanto na alimentação. Brincadeiras a parte, meu pai é um dos pilares da minha conquista, tanta cobrança foi uma das maneiras para o meu exito. – conta

Focado nas portas que se abrirão após a conquista do cinturão, Glyan mantém sua rotina de treinos, se preparando em todos os fundamentos da luta. O atleta que possui a faixa roxa de jiu jitsu e prajied preto de muay thai, começou a treinar por ter se afastado dos estudos quando era mais jovem.

– Meu início no mundo das lutas aconteceu após meu afastamento do colégio, foi então meu pai, que também é meu mestre, me deu o ultimato, e me obrigou a começar a treinar para que eu não ficasse sem ocupação. Depois de um período retornei aos estudos e nunca mais deixei de treinar. – revela

Ainda sem luta marcada para a sequencia da carreira, Glyan projeta defender os cinturões do Shooto e do JF Fight no mínimo duas vezes este ano, além de se sentir preparado para assinar contrato com algum grande evento internacional.

– Meus planos permanecem os mesmos de 2017, quero lutar e mostrar o meu potencial. Quero defender meu cinturão, provar que sou o melhor da categoria, quem sabe meu empresário Jackson consiga algo bom nos eventos internacionais, estou pronto para provar minhas qualidades. – finaliza