Ceará e Botafogo empatam sem gols no Castelão

Empate sem gols foi ruim para as duas equipes | Divulgação (Ceará Sporting Club)

Era aquele famoso “jogo de seis pontos”, entre concorrentes diretos na briga contra o rebaixamento na reta final do Campeonato Brasileiro. Na noite desta segunda-feira (15), Ceará e Botafogo entraram em campo no Castelão precisando vencer, porém, com a preocupação maior de não perder. Resultado: um 0 a 0 ruim para ambos, mas pior para o Vozão, que ainda perdeu um pênalti com Arthur, frustrou a torcida e sofreu um tropeço em casa que pode custar caro no fim da competição.

Com o resultado, o Ceará chegou aos 31 pontos e se manteve na zona da degola ocupando a décima sétima posição. Já o Botafogo alcançou os 35 pontos e continua na décima segunda colocação.

Foi um primeiro tempo muito ruim no Castelão. Até para os donos da casa, que apesar do domínio do jogo durante os 45 minutos tiveram apenas duas chances claras de gol e ainda perderam um pênalti, com Arthur. O Botafogo conseguiu menos ainda: apenas uma finalização, com Bochecha, que sequer acertou o gol.

Os cariocas melhoraram na etapa final, e com menos de um minuto Pimpão obrigou Éverson a fazer grande defesa. Mas o Ceará continuou mais agudo, e Juninho Quixadá estufou a rede de cabeça, só que em posição de impedimento. Quando Ricardo Bueno estava em posição legal, Saulo fez milagre e foi buscar no ângulo. O Glorioso se segurou do jeito que deu e manteve o zero no placar.

O Vozão volta a campo para enfrentar o Palmeiras no próximo domingo (21), às 16h, no Pacaembu. Já o Glorioso joga no sábado, também às 16h, contra o Bahia, no Engenhão.

Ceará 0 x 0 Botafogo

Estádio Castelão ((Fortaleza– CE)

Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)

Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa-SP) e Rogerio Pablos Zanardo (SP)

Ceará: Everson; Samuel Xavier, Eduardo Brock, Tiago Alves e Felipe Jonantan; Edinho, Richardson, Calyson, Juninho Quixadá (Pedro Ken); Felipe Azevedo (Ricardinho) e Arthur (Ricardo Bueno). Técnico: Lisca.

Botafogo: Saulo; Luis Ricardo, Carli, Igor Rabello, Gilson (Moisés); Rodrigo Lindoso, Gustavo Bochecha (Erik), Matheus Fernandes (Marcelo Benevenuto); Luiz Fernando, Rodrigo Pimpão, Kieza. Técnico: Zé Ricardo

Cartões amarelos: Tiago Alves (Ceará); Matheus Fernandes, Rodrigo Pimpão, Carli (Botafogo);