CM System prova que trabalhar sério rende frutos sólidos

Com um reconhecimento mais do que merecido a CM System liderada por Cristiano Marcello, ex-UFC e Pride, vem se consolidando dentro e fora do Brasil com um trabalho sério voltado para o desenvolvimento do atleta por completo.

A academia, criada em 2009 após a saída de Cristiano Marcello da Chute Boxe, já conta com dois lutadors no UFC, são eles Felipe Silva e Elizeu Capoeira. Com grandes nomes despontando no cenário nacional vale destacar o jovem e promissor Luan “Miau”, um striker de 23 anos, que está com luta marcada no Brave pelo cinturão interino dos leves. Sem contar o invicto Killys Mota que soma 11 vitórias, sendo cindo delas por nocaute e três por finalização.

A CM System venceu por dois anos seguidos o Prêmio Osvaldo Paquetá de melhor equipe do país, a última conquista é recente e consolidou o ano de 2017 da equipe. O líder do time, Cristiano Marcello, também recebeu o Óscar do mma nacional pelo segundo ano consecutivo como treinador do ano.


Nascido em 1977 no bairro do Méier, Cristiano Marcello iniciou nas artes marciais treinando Taekwondo até que aos 11 anos conheceu a arte marcial que mudaria a sua vida de uma vez por todas, o jiu jitsu.

“Eu cresci em um bairro do subúrbio do Rio de Janeiro, mas diferente da maioria nunca me faltou nada em casa. É claro que ser criado no Subúrbio do Rio te faz conviver com todas as classes sociais e todo o tipo de gente. Minha infância foi com o pé no chão, sempre fui um garoto hiperativo e por isso meus pais relutaram em me colocar em alguma arte marcial. Sendo assim eu mesmo procurei um lugar pra treinar, iniciei no Taekwondo até migrar para o Jiu jitsu na academia do mestre Casquinha e fiquei lá até 1990, depois recebi um convite e me transferi para a Gracie Tijuca/Humaitá.” – conta

CM ao lado de Rickson Gracie.

Faixa preta de jiu jitsu desde 1999, Cristiano caminha em 2018 para receber o 5º Dan em sua graduação. Além de ser um especialista na luta de solo, o líder da CM System é grau preto de muay thai e faixa preta 3º grau de luta livre.

“Eu sou grau preto de muay thai a quase 10 anos do Felipe Silva, na luta livre eu sou faixa preta 3º grau do Marcelo Zulu e no jiu jitsu estou pegando o 5º dan este ano. Estou chegando a 30 anos de jiu jitsu em 2018.” conta

A arte suave sempre foi o cartão de visitas de Cristiano Marcello, onde conquistou inúmeras vezes campeonatos estaduais do Rio e Paraná, além de competições internacionais. Em 1997 o mma, que na época era vale-tudo, passou a fazer parte da vida do faixa preta.

O carioca radicado em Curitiba foi treinador da lendária Chute Boxe onde graduou nomes como Wanderlei Silva e Maurício Shogun. Entre 2001 e 2005, Cristiano Marcello se dedicou apenas a instruir e participar da evolução de muitos lutadores de alto nível.

No Brasil dentre muitos eventos lutou também o extinto MECA, até que em 2006 chegou ao MARS, na Coreia do Sul. Depois disso Cristiano Marcello esteve nos melhores eventos do mundo, passando pelo extinto Pride e depois chegando em 2012 ao TUF 15, reality show do UFC, onde fez parte do time de Uriah Faber. Após o TUF, Cristiano Marcello assinou um contrato de três lutas com o UFC. Em 2014 após somar 13 vitórias em 19 lutas, o líder da CM System resolveu pendurar as luvas e se dedicar exclusivamente ao aperfeiçoamento de seus pupilos.

“Eu me sinto realizado como lutador, fui o único atleta no mundo a lutar o Pride, TUF e o UFC. Alguns lutadores partiparam do TUF como treinador, mas eu fui o único a participar destes três como lutador. Quando cheguei aos 36 anos decidi dedicar meu tempo exclusivamente para a preparação dos atletas da minha academia.” – revela

Os dias vividos no TUF foram intensos, na época com 34 anos, encarou a maratona do reality show, que geralmente era gravado em 45 dias, mas que na edição de número 15, que contou com a participação do brasileiro, durou cerca de 3 meses e meio com todas as lutas acontecendo ao vivo e com transmissão para quase 20 milhões de residências. Participar da competição foi uma porta de entrada para a CM System no maior evento do mundo e o fundador da equipe sabia disso.

CM ao lado de Uriah Faber e Fabio Prado no TUF.

“Minha experiência no TUF foi muito boa, como já estava com 34 anos e dois filhos, minha função dentro da casa foi de apaziguador e orientador. Passei meus conhecimentos técnicos e ainda ajudei a conter o ânimo dos atletas mas exaltados. Foram três meses e 15 dias, lutas ao vivo toda sexta na FOX para uma audiência gigante. Ter participado do reality foi um investimento para a CM System, muitas portas se abriram após o reality show do UFC.”-conta

Ao todo são cerca de 40 atletas levantando a bandeira da CM System, treinadores como Felipe Silva e Marcelo Zulu, além do próprio Cristiano Marcello ralando no tatame para preparar atleta por atleta a se tornarem verdadeiros campeões. A equipe que surgiu em 2009 almeja vôos ainda mais altos para 2018.

Felipe Silva, Elizeu Capoeira, CM e Marcelo Zulu.

“Tenho verdadeiros irmãos ao meu lado tornando tudo que sonhei para a CM System realidade. O time é bom e são muitos atletas esperando boas oportunidades. A prova disso é que ganhamos o Óscar do mma duas vezes de melhor time do país, agora quero provar que somos o melhor time do mundo. Espero conseguir oportunidades no Bellator e mais oportunidades no UFC. Nosso time está mais do que pronto.” – disse