Com gols só na primeira etapa, Nova Iguaçu e Cabofriense ficam no empate

No duelo do primeiro colocado da fase preliminar do Campeonato Carioca de 2018 e o melhor clube de médio porte na edição de 2017, nada de vitória. Com um empate em 1 a 1 na tarde desta quarta-feira (17), no Estádio Jânio de Moraes, o Laranjão, na Baixada Fluminense, Nova Iguaçu e Cabofriense abriram suas participações na Taça Guanabara, primeiro turno do Estadual.

Apesar do forte calor que fazia na em Nova Iguaçu a partida começou em alta intensidade com as duas equipes buscando o gol. Aos três minutos, Davi Ceará tocou bem a bola na direita para João Carlos, mas o goleiro Jefferson saiu bem do gol para fazer a defesa. Depois disso os donos da casa mostraram que queriam a vitória e iniciaram forte pressão sobre a equipe da Região dos Lagos.

Aos 22, o abafa do Laranja Iguaçuano deu resultado. Paulo Henrique cobrou falta para dentro da área e Adriano, o artilheiro do Nova Iguaçu no Estadual de 2017, desviou para o fundo das redes: 1 a 0 para equipe da casa. Dois minutos depois, Caio Cezar arriscou chute forte de fora da área e mandou muito perto do gol defendido por George.

Sem mostrar estar abalada com o gol sofrido, a equipe da Cabofriense voltou ao ataque e poucos minutos depois conseguiu o empate. Aos 30, Maranhão fez boa jogada pela esquerda e rolou atrás para Kaká Mendes. O meia tentou de letra e furou a bola, mas ela sobrou para João Carlos fuzilar as redes do Nova Iguaçu, tudo igual no placar do Laranjão: 1 a 1.

Apesar da intensidade da partida, as duas equipes não conseguiram marcar na segunda etapa e o duelo terminou empatado | Marcos Faria Melo

Depois disso, o Laranja da Baixada ainda tentou voltar a ter a vantagem no placar, quando aos 40 minutos, Wescley desviou lançamento e bola sobrou para Adriano na cara do gol, mas o goleiro do Tricolor conseguiu fazer a defesa e o primeiro tempo terminou mesmo com o empate parcial no marcador.

SEGUNDO TEMPO DE POUCAS CHANCES APÓS A PARADA TÉCNICA

No segundo tempo o Nova Iguaçu partiu para cima dos visitantes e assustou logo de cara. Aos nove, Murilo Henrique cobrou falta direto, George deu um toquinho na bola e ela explodiu na trave. Porém, pouco tempo depois veio a resposta da Cabofriense. Aos 13, em cruzamento da direita, Lucas se atrapalhou e desviou contra o próprio gol. Quando a bola já estava entrando, Jefferson conseguiu dar um tapa nela e salvou o que seria o segundo gol do Tricolor.

E a partida seguiu em ritmo bastante intenso. Aos 18 minutos, Wescley saiu na cara do gol e finalizou para grande defesa de George. No rebote, Paquetá chutou e a zaga cortou em cima da linha. Na terceira chance, a defesa conseguiu afastar por completo o perigo. No minuto seguinte, Após cruzamento, Raphael Azevedo cabeceou firme para o gol e arqueiro tricolor fez mais uma defesaça.

Tentando diminuir a pressão do Laranja da Baixada, a Cabofriense chegou mais uma vez aos 20 minutos, quando João Carlos fez boa jogada e rolou para Maranhão. Sozinho na área, o atacante finalizou fraco, em cima do goleiro do Jefferson. Depois da parada técnica, a partida perdeu muito em intensidade, por conta do cansaço que batia nos atletas, em virtude do forte calor e sem mais nenhuma chance clara de gol, terminou mesmo com o empate em 1 a 1 no placar.

No fim de semana as duas equipes voltam a campo. O Nova Iguaçu vai até São Januário, onde enfrenta o Vasco, no domingo (21), às 17h. No mesmo dia, a Cabofriense enfrenta o Flamengo, na Ilha do Urubu, às 20h15.

Nova Iguaçu 1 x 1 Cabofriense

Estádio Jânio de Moraes (Nova Iguaçu)

Árbitro: Grazianni Maciel Rocha

Assistentes: Dibert Pedrosa Moises e Eduardo de Souza Couto.

Nova Iguaçu: Jefferson, Daniel (Luam), Raphael Azevedo, Murilo Henrique, Lucas, Paulo Henrique, Caio César, Jonathan (Vinícius Paquetá), Wescley (Wallace), Dieguinho (Robinho) e Adriano (Bruno Smith). Técnico: Edson Souza.

Cabofriense: George, Leomir, Victor Silva, Leandro Euzébio, Airton, Levi, Kaká Mendes (Henrique), Bruno Tubarão, Davi Ceará (Marcelo Gama), Maranhão (Lauro César) e João Carlos (Matheus Guerreiro). Técnico: Antônio Carlos Roy.

Gols: Adriano – Nova Iguaçu (22/ 1º tempo), João Carlos – Cabofriense (30/ 1º tempo)

Cartões amarelos: Matheus Guerreiro (Cabofriense)

Cartões vermelhos: Não houve

Público: 800 (pagantes) e 900 (presentes)

Renda: R$ 8.600,00