Bota perde para o Atlético-MG no Horto e encerra o Brasileiro com derrota

Cazares vazou Gatito e fez o gol que leva o Galo para a Libertadores (Foto: Reprodução/Instagram Atlético-MG)

O Atlético Mineiro está na Libertadores da América em 2019. Neste sábado (1), no Horto, o time dirigido pelo técnico Levir Culpi derrotou o Botafogo e carimbou o passaporte para a disputa da mais importante competição sul-americana no ano que vem. Cazares marcou o gol da vitória atleticana por 1 a 0 no Independência.

O resultado levou o Galo aos 59 pontos e ao triunfo no duelo contra o xará paranaense que chegou à última rodada do Brasileirão disputando com os mineiros a sexta posição do campeonato, que representa a última vaga na Libertadores da próxima temporada. Já o Botafogo, que chegou ao seu jogo final no torneio com a vida definida, volta a perder depois de seis jogos de invencibilidade e acompanha, neste domingo, o encerramento da 38ª rodada para saber se os seus 51 pontos lhe garantem a nona ou a décima colocação na tabela – o que significa uma diferença de alguns milhares de reais em premiação.

SUPERIORIDADE TOTAL DOS DONOS DA CASA NA PRIMEIRA ETAPA

Com parte do elenco já de férias e o desfalque final de Luiz Fernando, que não viajou a Belo Horizonte por conta de uma amigdalite, Zé Ricardo colocou em campo um Botafogo bem diferente em relação às últimas rodadas e tendo como principal novidade o jovem lateral Yuri, escalado como ponta direita. E claramente a equipe titular do Fogão não foi páreo para o 11 inicial de um Galo que, apoiado pela boa presença de seu torcedor, subiu ao gramado determinado a conquistar a vaga na Libertadores do próximo ano.

Já aos três minutos, o Galo chegou perto do gol na bola parada. Gatito não saiu no escanteio cobrado por Cazares, Leonardo Silva tocou de cabeça para trás e começou um bate-rebate que resultou em duas intervenções de Yuri, salvando o Botafogo na pequena área, e se concluiu com o chute de Chará desviado por Luan caído. Instantes depois, Ricardo Oliveira também apareceu em bola aérea do Galo, mas a bola passou sobre o travessão de Gatito.

As chances eram o prenúncio do que estava por vir. Absoluto no jogo, o Atlético só precisou esperar até os 18 minutos para, enfim, sair na frente. Luan enfiou a bola para a subida do lateral Emerson, que galopou sobre a marcação de Bochecha e cruzou para trás. A bola chegou na medida para Cazares completar para as redes: 1 a 0.

Passivo no jogo, sem criar uma única oportunidade de gol na primeira etapa, o Bota foi para os vestiários com uma lucrativa desvantagem de um gol, já que o Atlético poderia, tranquilamente, ter chegado ao segundo gol – e até a um possível terceiro. Só não o fez porque Adilson não levou sorte ao desviar um cruzamento improvisando um toque de calcanhar pelo alto. Mais tarde, Gatito salvou chute longo de Luan e Chará desperdiçou a conclusão de ótima jogada de contragolpe iniciada por ele mesmo.

BOTAFOGO CRIA NO SEGUNDO TEMPO, MAS NÃO APROVEITA

Na segunda etapa, o panorama do jogo se manteve, com o Galo dominando as ações e levando perigo, sobretudo, nas bolas paradas. A diferença é que o Botafogo finalmente teve chances. A primeira delas, logo no segundo minuto: Leonardo Silva saiu jogando errado e o Bota teve dois atacantes contra o zagueiro Maidana. Mas Pimpão deu passe curto, Kieza se enrolou com o domínio e o defensor do Galo chegou travando a finalização do camisa 9 do time carioca. Aos 18, Matheus Fernandes encontrou Pimpão livre na área, em cruzamento, mas o toque de cabeça do atacante passou à direita da meta de Victor.

FIM DE JOGO TENSO

Os sustos à massa atleticana não vieram apenas de dentro do campo. No Maracanã, o Atlético-PR virou o jogo contra o Flamengo. Assim, um gol botafoguense mudaria o destino do time mineiro, deixando-o de fora da Libertadores. E ele quase veio: recém-entrado, João Paulo emendou de primeira, de longe, e a bola passou muito perto da trave direita do Atlético-MG.

As mexidas melhoraram o Botafogo. Com as entradas de Leandrinho e Ezequiel nas vagas de Marcos Vinicius e Yuri, o time passou a ter maior presença no campo ofensivo e a dificultar mais a troca de passes da defesa atleticana. Por outro lado, o Atlético se viu enfraquecido naquilo que tinha de melhor: as bolas alçadas à área rival. Leonardo Silva, lesionado, teve de sair. Por opção de Levir Culpi, Ricardo Oliveira foi substituído pelo meia David Terans. Cazares passou a ser centroavante.

O resultado foi um fim de jogo cardíaco para o torcedor do Galo, com o Botafogo mais senhor do jogo, detentor da bola e rondando a área dos donos da casa. Aos 46 minutos do segundo tempo, Pimpão cruzou na área e Kieza apareceu livre, de frente para Victor. A cabeçada firme tomou a direção do canto direito de Victor e foi sendo soprada pelas almas aflitas de mais de 22 mil torcedores presentes ao Independência. Por fim, bola para fora, suspiro de alívio geral, Victor com as mãos no rosto quase em posição de prece e Galo na Libertadores da América em 2019.

Atlético-MG 1 x 0 Botafogo

Campeonato Brasileiro, 38ª rodada

Independência (Belo Horizonte-MG)

Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC).

Auxiliares: Kléber Lúcio Gil (SC) e Neuza Inês Back (SC).

Atlético-MG: Victor, Emerson, Leonardo Silva (Gabriel), Maidana e Fábio Santos; Adilson, Elias (Zé Welison) e Cazares; Luan, Ricardo Oliveira (David Terans) e Chará. Técnico: Levir Culpi.

Botafogo: Gatito Fernández, Marcinho, Marcelo, Igor Rabello e Moisés; Bochecha (João Paulo) e Matheus Fernandes; Yuri (Ezequiel), Marcos Vinicius (Leandrinho) e Rodrigo Pimpão; Kieza. Técnico: Zé Ricardo.

Gols: Cazares (CAM – 18’/1T).

Cartões Amarelos: Emerson, Elias, Leonardo Silva e Victor (CAM); Yuri, Rodrigo Pimpão e Matheus Fernandes (BOT).

Cartões Vermelhos: Não houve.

Público: 22.365 torcedores.

Renda: R$ 313.452,00.