Corinthians segura Flamengo e leva decisão da vaga para São Paulo

Corinthians segura 0 a 0 com Flamengo no Maracanã e leva decisão da vaga para casa (Foto: Staff Images/CRF)

Nada de gols. A primeira metade do duelo decisivo por uma vaga na final da Copa do Brasil acabou com redes incólumes e cordas vocais de mais de 50 mil torcedores no Maracanã, preservadas. Com proposta extremamente defensiva e sem ter um só escanteio no jogo, o Corinthians segurou o 0 a 0 contra um Flamengo que teve mais de 70% de posse de bola, na noite desta quarta (12). O jogo de volta, com tudo em aberto, acontece no Itaquerão, no próximo dia 26.

DAS POLÊMICAS PRÉ-JOGO À PRESSÃO RUBRO-NEGRA

Castigado, investigado, mas cheio. Assim o Maracanã se iluminou e se abriu para receber a primeira partida valendo uma vaga na decisão da Copa do Brasil. Depois de toda polêmica, Fagner foi titular pelo Corinthians. Depois de pouco descanso, Cuéllar e Paquetá também iniciaram pelo Flamengo. Assim, com o mando de campo e o time completo, o Rubro-Negro dominou completamente as ações na etapa inicial.

Apesar da grande vantagem na posse de bola, o Fla, porém, encontrava dificuldades para encontrar os espaços na defesa corintiana. A primeira oportunidade só veio aos 12 minutos, em um erro de Gabriel que Vitinho aproveito para emendar, de primeira, e mandar a bola, com perigo, à direita de Cássio. Enquanto o Flamengo tinha a bola e pressionava, Jair Ventura apostava, em seu segundo jogo à frente do Timão, na mesma receita usada no ano passado, quando enfrentou o Flamengo também nas semifinais da Copa do Brasil, dirigindo o Botafogo: time fechado e montado para sair no contragolpe.

CORINTHIANS CRIA CHANCES, MAS FLAMENGO REAGE NO FIM DO PRIMEIRO TEMPO

Mas foi só quando Paquetá errou passe na defesa, aos 24, que os paulistas conseguiram chegar pela primeira vez à área flamenguista. Clayson invadiu pela direita, mas foi fominha: em vez de tocar para o meio, em busca de companheiro melhor posicionado, bateu forte e cruzado, mas só acertou a rede pelo lado de fora. Dois minutos depois, aí sim, os jogadores se aproximaram e, em linda triangulação, Clayson tabelou com Jadson e serviu Douglas. Na área, de frente para Diego Alves, o volante ex-Fluminense mandou à esquerda da meta. Um ano depois, Jair via seu time finalmente levar perigo ao Flamengo nesta fase da competição.

Depois do susto, o Mengão voltou a ser melhor e Paquetá, em chute cruzado, exigiu de Cássio uma defesaça, aos 31, espalmando pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, Uribe desviou à primeira trave e o goleiro corintiano, outra vez, apareceu para defender. O Flamengo ainda finalizaria em mais duas oportunidades antes do fim da etapa inicial. Primeiro, Paquetá bateu de longe e mandou para fora. No fim, Rodinei foi lançado pela direita e, com a bola quicando, emendou, mas viu Cássio encaixar o chute e manter o placar fechado após 45 minutos.

SEGUNDO TEMPO DE JOGO FECHADO E POUCAS CHANCES

O segundo tempo não trouxe qualquer novidade ao panorama apresentado na primeira etapa. O Flamengo manteve sua posse de bola acima dos 60%. O Corinthians, por sua vez, seguia fechado com linhas compactas em frente à própria área. No entanto, o período final de jogo apresentava maiores dificuldades. Por um lado, o time da casa não conseguia encontrar um mínimo espaço, uma mísera tabela, uma réstia de oportunidade para concluir ao gol. Por outro, o Coringão segurava a onda rubro-negra mas se mostrava ainda mais incapaz que no primeiro tempo de articular uma jogada que o conduzisse, pelo menos, até a intermediária ofensiva.

Nas parcas finalizações – todas do Flamengo e de meia distância, já que não era possível penetrar a área rival – Cássio esteve seguro. Inicialmente, espalmando chute de Diego, aos 16. Mais tarde, segurando firme a conclusão de Paquetá, da meia-lua, que ainda quicou na pequena área. Se não era possível criar boas jogadas, o Fla apostou no chuveirinho (mais de 20 bolas foram alçadas sobre a área visitante). E, em alguns deles, foi possível ver torcedores perdendo o fôlego, praticamente sem respiração, nas arquibancadas do Maraca.

O grito de gol, porém, seguia preso. Entretanto, tamanha era a pressão rubro-negra que empurrava o Timão contra a própria linha de fundo, que parecia impossível que os mais de 50 mil flamenguistas presentes deixassem o estádio sem o momento de clímax, de catarse. Mas, se assim parecia, pode-se dizer que o Corinthians fez o impossível: sem dar um só chute a gol na segunda etapa, concluiu sua missão na Cidade Maravilhosa. Isto é, não perdeu e leva, agora, para sua casa um confronto totalmente aberto e indefinido após empate sem gols na primeira partida.

Flamengo 0 x 0 Corinthians

Copa do Brasil, Semifinal – Jogo 1

Local: Maracanã (Rio de Janeiro – RJ)

Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC).

Auxiliares: Kléber Lúcio Gil (FIFA/SC) e Guilherme Dias Camilo (FIFA/MG).

Árbitro de Vídeo: Rafael Traci (PR).

Flamengo: Diego Alves, Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuéllar; Éverton Ribeiro, Lucas Paquetá (Willian Arão), Diego e Vitinho (Lincoln); Uribe (Henrique Dourado). Técnico: Maurício Barbieri.

Corinthians: Cássio, Fagner (Paulo Roberto), Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Gabriel (Araos) e Douglas; Jadson e Clayson (Mateus Vital); Romero. Técnico: Jair Ventura.

Cartões Amarelos: Douglas (COR).

Cartões Vermelhos: Não houve.

Público: 48.822 pagantes; 53.303 presentes.