UFC 219: Cris Cyborg derrota Holm e se mantém campeã

Cris Cyborg | UFC DIVULGAÇÃO

O T-Mobile Arena em Las Vegas, Nevada, com capacidade para 20 mil pessoas, foi o local escolhido para o UFC 219, último evento do 2017. No Main Event a lutadora mais dominante que já existiu, Cris Cyborg enfrentando a duríssima Holly Holm, luta que marcou a primeira defesa de cinturão da brasileira.

Ao todo 3 brasileiros estiveram no card: Cris Cyborg, Edson Barboza e Matheus Nicolau. O saldo no final foi positivo, com 2 vitórias e 1 derrota.

A campeã dos penas não decepcionou, na luta principal da noite, a brasileira Cris Cyborg pela primeira vez lutou 5 rounds que eram previstos e foi agressiva do início ao fim, mostrando um fôlego suspreendente. Sem dúvidas, Cris encarou o seu maior desafio no mundo das lutas, ao contrário do que se previa, a brasileira foi quem se manteve no contra ataque.

O primeiro golpe mais significativo conectado foi de Cris Cyborg, porém Holm respondeu o golpe a altura balançando a brasileira. Holly Holm era mais ofensiva, porém esbarrava nos potentes socos de encontro aplicados pela Cyborg. Um round super equilibrado e difícil de pontuar, porém a brasileira conectou golpes mais significativos.

Para quem é fã de lutas resolvidas em pé, o Main Event esteve perfeito. No 2° round o contra-ataque de Cris se mostrava muito efetivo, mesmo com a americana buscando trabalhar a sequencia de golpes, a mão direita de Cris Cyborg balançou e incomodou Holm. Outro roundruim de pontuar, as duas lutadores não recuaram em nenhum momento.

O ritmo do 3° round começou mais travado em seus segundos iniciais, as duas não demoraram muito a buscarem seus golpes, os golpes surgiam na média e curta distância, as duas estiveram a maior parte do tempo no centro do cage. Round com leve vantagem para a brasileira Cris Cybog.

No 4° round Cris Cyborg parecia um animal feroz sentindo o cheiro da presa, encurralando a americana logo no início do round e desferindo golpes poderosos. Não demorou muito para Holm responder e ir para a trocação franca com a brasileira. Dominio claro da brasileira no 4°round.

Último round voltando com a mesma intensidade, a brasileira conectava diretos duríssimos contra a adversária que estava com uma postura ainda mais agressiva investindo nas combinações para tentar encontrar uma brecha no jogo de Cris Cyborg. As duas continuaram trocando socos até o último segundo.

Com 12 anos de invencibilidade no MMA profissional, a brasileira Cris Cyborg venceu por decisão unânime (49-46/48-47/48-47) e mantém o cinturão em solo brasileiro.

– Quero agradecer a Holly Holm, ela é uma lutadora impressionante, agradecer a Deus pela oportunidade e a todos que vieram hoje. Eu gostaria de lutar na Austrália, tenho muitos fãs lá. Estou pronta para qualquer um. – Diz Cris Cyborg a Joe Rogan

Com uma luta eletrizante, Cris e Holm faturaram U$$ 50 mil dólares cada pela “luta da noite”. Com a vitória, Cris Cyborg soma agora 19 triunfos em 21 lutas.

O UFC estuda um combate entre duas brasileiras campeãs, pois Amanda Nunes, campeã dos galos, já disse que quer desafiar Cris Cyborg pelo cinturão dos penas. Esse combate deve acontecer em 2018 no Brasil.
Porém Cris Cyborg em entrevista ainda no octógono, manifestou seu desejo de lutar o UFC 221, programado para acontecer em Perth, na Austrália, no dia 10 de fevereiro.

“Gostaria de lutar com a Megan Anderson. Talvez na Austrália. Tenho muitos fãs lá.”… – revelou a brasileira.

 

NURMAGOMEDOV DOMINA EDSON BARBOSA

 

Na luta Co-principal da noite, o lutador de Nova Friburgo Edson Barbosa não conseguiu conter o ímpeto do russo Kgabib Nurmagomedov.

O brasileiro começou bem a luta com bons chutes baixos e se movimentando o tempo todo, o russo Nurmagomedov por sua vez fazia bem o anti-jogo, grudava e colocava para baixo. Assim foi o panomara do 1°, com claro domínio de Khabib Nurmagomedov.

No 2° round o invicto lutador russo se mostrou agressivo logo no início, foi para a trocação e na primeira brecha colocou para baixo. Mais um round dominante para o russo. Edson Barbosa a partir de agora precisaria nocautear ou finalizar para sair com a vitória.

Edson mostrando claros sinais de cansaço, veio para o último round buscando o combate desde o início, porém o ímpeto do brasileiro foi travado com mais uma queda de Khabib Nurmagomedov. Ainda no fim do round o brasileiro Edson Barbosa aplicou dois chutes giratórios, porém o último round se encerrou com vitória arrasadora de Khabib Nurmagomedov.

Com uma vitória por decisão unânime (30-24/30-25/30-25), Nurmagomedov mantém a sua invencibilidade e soma agora 25 triunfos em sua carreira profissional de MMA, além de faturar o prêmio de U$$ 50 mil dólares por performance da noite.

 

BRASIL NO CARD PRELIMINAR

 

Após cumprir suspensão de 1 ano e meio por doping, o mineiro Matheus Nicolau, de 24 anos, enfrentou pelo peso mosca o havaiano Louis Smolka, que vinha muito pressionado após 2 derrotas consecutivas na organização.
O 1° round começou bem intenso, com o brasileiro demonstrando um boxe afiadíssimo e com menos de 1 minuto o brasileiro conectou no mínimo 3 bons golpes de punho deixando o havaiano desnorteado. Com 1 minuto e 40 segundos do 1° round, Matheus conseguiu um poderoso knockdown, o mesmo se repetius aos 3 minutos do 1° round ao conectar um direto de direita e desmontar Louis Smolka

No 2° round o brasileiro manteve o ritmo, sempre trabalhando bem os contragolpes, esperando o momento bom para conector os socos e aproveitando para recuperar a energia gasta no 1° round. O rosto do havaiano Smolka já mostrava muitos danos causados pelas mãos duríssimas do brasileiro. Mais uma vez Matheus Nicolau foi bem superior, porém com uma intensidade menor do que a apresentada no 1° round. Um 10 a 9 claro para o lutador de Belo Horizonte.

No 3° o havaiano saiu ainda mais para a luta, foi para nocautear ou finalizar, pois possivelmente havia perdido os 2 primeiros rounds. O brasileiro administrou muito bem com boas quedas e com contra golpes precisos, sempre trabalhando o boxe, No fim do último round o brasileiro ficou muito perto de uma finalização ao encaixar um estrangulamento faltando cerca de 20 segundos, e assim terminou o 3° e último round.

O brasileiro venceu por decisão unânime (30-26/30-26/30-25), colocando a 3° derrota consecutiva no cartal do havaino dentro do UFC.

– O meu plano de jogo foi usar todas as minhas armas e consegui colocar em jogo, mesmo sabendo que a maior envergadura dele poderia me causar problemas, por isso apliquei muitos golpes no corpo dele. – respondendo a Joe Rogan

O jovem Matheus Nicolau que esteve na 4° edição do The Ultimate Fighter, agora soma 13 vitórias, 1 empate e 1 derrota em seu cartel profissional de MMA. E essa foi sua 3° vitória consecutiva na organização.

 

Resultados do UFC 219

 

CARD PRINCIPAL

Peso pena: cris Cyborg derrotou Holly Holm por decisão unânime (49-46, 48-47, 48-47)

Peso leve: Khabib Nurmagomedov derrotou Edson Barboza por decisão unânime (30-25, 30-25, 30-24)

Peso leve: Dan Hooker derrotou Marc Diakese por finalização (guilhotina) aos 42s do R3

Peso palha: Carla Esparza derrotou Cynthia Calvillo por decisão unânime (3x 29-28)

Peso meio-médio: Neil Magny derrotou Carlos Condit por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)

 

CARD PRELIMINAR

Peso meio-pesado: Michal Oleksiejczuk derrotou Khalil Rountree Jr. por decisão unânime (3x 30-27)

Peso pena: Myles Jury derrotou Rick Glenn por decisão unânime (3x 30-27)

Peso médio: Marvin Vettori e Omari Akhmedov têm empate majoritário (28-28, 29-28 Vettori, 28-28)

Peso mosca: Matheus Nicolauderrotou Louis Smolka por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-25)

Peso galo: Tim Elliott derrotou Mark De La Rosa por finalização (triângulo de mão) a 1m41s do R2