De volta após lesão: Tomé crê em treinos constantes para aprimorar suas habilidades

Foto: Arquivo pessoal

Todo atleta passa por períodos de lesão, é comum do esportes termos alguma lesão que nos impossibilita de voltar ao case e fazer o nosso melhor, Victória Tomé é mais uma brasileira a desbravar o mundo da arte suave e sair do Brasil em busca de seu sonho.

Mãe e atleta, essa fera já tem um plano para 2018, chegar ao topo do jiu jítsu mundial, para voltar ao jogo Tomé tem uma tática infalível, se manter sempre no tatame:

Evito ao máximo me manter fora do tatame, quanto mais eu puder ficar no tatame, treinando, me atualizando, buscando novas técnicas, não é por que estou machucada que vou me manter longe dos treinos, quero estar sempre envolvida nos treinos e com o pessoal que me acompanha.

O BJJ feminino ainda carece de premiações mais iguais, uma promoção digna das campeãs que habitam nosso esporte, na visão da atleta a falta de união entre as lutadoras de Jiu Jítsu é o que faz as categorias femininas não terem a representatividade devida:

Falta uma união maior das meninas para participar de eventos, a gente sempre busca oportunidades, mas é complicado quando o volume de atletas não é suficiente. O jiu jítsu feminino tem crescido mas precisamos de uma valorização maior e mais união.

Projetando participar do mundial em maio deste ano, a brasileira vem treinando forte para honrar nosso país nos campeonatos mundo a fora.