Elaine Pantera projeta vitórias em 2021

O ano de 2020 foi sem dúvidas para todos refletirem. E assim, com esse pensamento, a lutadora Elaine Leal, conhecida como “pantera”, enxerga este ano tão turbulento. Nada do que foi traçado em sua carreira no MMA profissional pôde ser consolidado.

Além da pandemia, que restringiu por meses os treinamentos, a lutadora encara uma batalha diária para levar o sustento de casa, para ela e suas duas filhas. Por isso, o desejo é de um 2021 diferente, com mais treinos e também com oportunidades em grandes eventos.

“Foi um ano bem difícil, eu confesso que foi um ano bem complicado. Eu esperava fazer pelo menos quatro lutas em 2020 e isso não aconteceu. Me mantive treinando em casa até que a academia pudesse ser reaberta, sem a possibilidade de dar aulas a situação financeira ficou bem agravada. O lado bom de sempre ter vivido uma guerra diária é que tive paciência e perseverança para manter meu foco e cuidar das minhas filhas.” – conta

A atleta pertence ao time da ATS Tubarões, comandada por André Tadeu, e espera ter uma história diferente em 2021.

“Venho treinando firme na ATS, lá tenhos muitos companheiros de qualidade e isso faz a diferença. Treinar com caras como Alex Cowboy é fantástico, não vejo a hora de subir no cage e buscar minha vitória. Estou na minha melhor forma e tecnicamente evolui bastante.” – revela

Em seu último compromisso profissional, Elaine acabou sendo finalizada pela Alyona Rassohyna no 1º round no World Warriors Fighting Championships 15. Sabendo da necessidade em ajustar sua luta de solo, a striker aproveitou os últimos meses para se dedicar ao Jiu Jitsu, especialmente o submission.

“Foram meses em que pude me aperfeiçoar mais, analisar criticamente os meus erros e projetar o que espero de mim como lutadora para o próximo ano.” – conta

Apesar do cartel ainda estar irregular, com sete vitórias e oito derrotas, muitas das derrotas de Elaine foi para atletas que estão no topo e sempre com poucos dias de preparação, em algumas situações nas categorias acima da que ela costuma lutar. Consciente de que muitas vezes foi utilizada como escada, a atleta diz que seu planejamento será totalmente diferente e que em 2021 veremos uma “pantera” bem diferente.

“Infelizmente fiz escolhas ruins na carreira, isso comprometeu um pouco meu cartel. É um conselho que dou hoje em dia para minhas alunas, caso queiram lutar profissionalmente, analisem tudo antes de aceitar uma luta. É claro que existem oportunidades que não podemos deixar passar, mas é preciso ter critério e sabedoria. Os bastidores do MMA não é para amadores. Eu me sinto preparada para uma nova etapa, estou preparadíssima para 2021. Se bater de frente com a “pantera” vai levar prejuízo.” – finaliza