Em seu retorno aos cages brasileiros, Elaine Pantera vence por nocaute no Shooto 91

Foto: Léo C. Farias / Léo Farias Photos

A primeira luta de Elaine Pantera, desde seu retorno do Japão, foi do jeito que a lutadora da ATS Tubarões imaginava e sem depender das papeletas. Com um nocaute técnico no terceiro round, a Pantera faturou a sétima vitória da carreira, quebrando um sequência de três lutas sem vitória.

O combate com Nath “Pitbull” começou quente, dentro e fora do cage. Além de enfrentar uma boa adversária, Elaine precisou manter a concentração e se desligar das vozes que vinham da torcida rival, principalmente de duas ex-adversárias de Elaine, presentes na Vivi Arena, que tentavam desestabilizar a atleta mineira.

O primeiro round foi de muito equilíbrio, com Nath conseguindo excelentes quedas e fazendo bem o controle no solo. As duas trocaram bons golpes e Elaine quase encaixou um armlock, que foi bem defendido por Nath. As duas se simultaneamente tentaram encaixar uma chave de tornozelo, mas o primeiro round terminou com a atleta da Nova União com mais volume e vencendo por 10 a 9.

No segundo round o enredo da luta mudou, com Elaine pressionando e colocando para baixo, fez boas transições e tentou finalizar a adversária em três oportunidades, mas todas foram defendidas por Nath “Pitbull”, que se monstrou uma lutadora com muito coração. Com a pressão e domínio, o round foi vencido por Elaine, igualando o placar em 19 a 19.

Foto: Léo C. Farias / Léo Farias Photos

No terceiro round, Elaine continuou com a estratégia traçada por Andre Tadeu, colocou a adversária de costas no solo e fez boas transições, conseguindo a montada e, em uma posição mais confortável, aplicar golpes contundentes. A pressão continuou, até que aos dois minutos e 32 segundos do terceiro round, com uma boa sequência de socos no ground-and-pound, Elaine Pantera carimbou sua vitória por nocaute técnico.

Foto: João Psicótico

De olho em um próximo compromisso, a Pantera não descarta retornar ao Japão para buscar sua primeira vitória em solo oriental.

“Eu só tenho a agradecer meu time por toda preparação e suporte, agora é descansar um pouco para buscar o próximo compromisso, gostaria muito de voltar ao Japão. Foi uma luta difícil, a Nath é uma adversária dura e vendeu caro a derrota, mas como eu havia falado, vim pra vencer e estou feliz por essa conquista. Pretendo fazer mais quatro lutas esse ano, me sinto preparada para grandes desafios. Força e honra sempre.” – finaliza