Flamengo fica atrás do placar por duas vezes, mas busca empate no Morumbi

Empate fora de casa deixou o Flamengo a seis pontos do líder Palmeiras | Staff Images

Em jogo de seis pontos, São Paulo e Flamengo ficaram no empate em 2 a 2, na tarde deste domingo (04), no Morumbi. Diego Souza e Helinho marcaram para os donos da casa; Uribe e Rodinei anotaram para a equipe carioca, que saiu de campo lamentando o placar.

O resultado foi ruim para as duas equipes. Com apenas um ponto somado, o Tricolor fica na quarta colocação com 57 pontos, enquanto o Rubro-Negro chega a 60 pontos, e vê a distância para o líder Palmeiras subir para seis pontos.

PRIMEIRA ETAPA ELETRIZANTE

A partida começou como se esperava: as duas equipes buscando o ataque de forma franca. As primeiras finalizações foram do Fla com Vitinho e Paquetá, mas sem assustar o goleiro Sidão.

Apesar dos primeiros chutes terem sido do lado visitante, a primeira finalização do São Paulo no jogo foi fatal. Logo aos oito, o uruguaio Carneiro fez bela jogada pela esquerda e lançou na área. A bola bateu em Liziero e ficou limpa para Diego Souza estufar as redes do Morumbi e abrir o placar.

Mal deu tempo de comemorar. No minuto seguinte, o Rubro-Negro bateu falta rápida no campo de ataque. Renê avançou pela esquerda e cruzou para Uribe. O colombiano se antecipou a marcação são paulina e mandou para o gol: 1 a 1.

O empate trouxe confiança para os comandados de Dorival Junior. Em saída esquisita de Sidão, a bola se ofereceu para William Arão, mas o volante pegou torto, na orelha de bola, e mandou para o lado. O São Paulo começou a ter dificuldade para criar as jogadas, principalmente pelo lado esquerdo com Gonzalo Carneiro.

Aos 38, o Flamengo teve a grande chance de virar a partida. Vitinho fez jogada pela esquerda e cruzou para Éverton Ribeiro. O meia escorou de cabeça para Renê, que chutou em cima de Sidão, no rebote, Uribe, livre, mandou por cima. A parte final foi de controle total flamenguista, mas não o suficiente para mexer no placar.

CHANCES PARA OS DOIS LADOS, MAS TUDO IGUAL

Na etapa final, Diego Aguirre promoveu uma mudança, que seria para lá de especial. O técnico uruguaio mandou a campo o menino Helinho, de apenas 18 anos. Logo aos quatro minutos, o jovem recebeu a bola pela direita, levou para o meio e mandou um chutaço no ângulo de César, colocando o São Paulo na frente novamente. Um golaço da jóia tricolor.

Minutos depois, outro jovem jogador são paulino quase ampliou. Luan, uma das apostas de Aguirre, recebeu a bola, invadiu a área e chutou forte para boa defesa de César.

Atrás do marcador, Dorival se viu obrigado a fazer alterações na equipe. Diego e Geuvânio foram a campo, na tentativa de dar mais movimentação no setor ofensivo. Ao contrário do que foi a primeiro tempo, a etapa complementar foi um pouco mais cadenciada, sem a velocidade inicial.

Com a aproximação do fim da partida, o Flamengo buscou acelerar o jogo. Lucas Paquetá, aos 32, teve uma grande chance, mas parou em grande intervenção de Sidão. Minutos depois, Vitinho fez uma jogada de extrema categoria pela esquerda, passou por dois e cruzou para área. Rodinei, que acabara de entrar, aproveitou desvio e mandou para dentro. Tudo igual no Morumbi.

No último minuto do tempo regulamentar da partida, Vitinho teve em seus pés a grande chance do jogo. Em bola cruzada pela direita, ela passou por toda área do São Paulo e ficou limpa para o camisa 14, que bateu mal demais, jogando para longe a chance de se manter perto da liderança do campeonato.