Flamengo se recupera contra Vitória e volta a encostar nos líderes

Diego marcou o gol do triunfo do Flamengo contra o Vitória no Maracanã (Foto: Gilvan de Souza/CRF)

Segue o líder… E de pertinho. O Flamengo volta a se aproximar da liderança do Brasileirão após derrotar o Vitória, na noite desta quinta (23), no Maracanã. O gol de Diego e o triunfo por 1 a 0 conduzem o Urubu a 40 pontos, ainda na terceira posição da tabela, mas apenas um ponto atrás do vice-líder Internacional e a dois do São Paulo, atual primeiro colocado.

Ao Vitória, dirigido pelo ídolo e ex-técnico rubro-negro Paulo César Carpeggiani, o resultado negativo significa a angústia de, pelo menos, mais três dias na zona de rebaixamento. Afinal, o time volta a campo apenas no domingo, quando recebe o Atlético Mineiro, às 16h. Mesmo dia e horário em que o Flamengo busca – contando com resultados favoráveis nos jogos dos rivais – a liderança da competição, contra o América Mineiro, no Independência.

FLA PRESSIONA DESDE O COMEÇO

Com o Maracanã lotado por mais de 50 mil rubro-negros, era normal que o Vitória, em má fase e com um treinador recém-chegado, se sentisse acuado. Mas, em campo, o Flamengo fez questão de dar também sua contribuição. Fosse negando a bola ao adversário desde os primeiros movimentos ou, efetivamente, buscando o gol logo nos minutos iniciais. Dessa forma, aos cinco minutos, Vitinho quase desencantou com o manto ao arrematar de muito longe e carimbar o travessão baiano. Menos de um minuto depois, Diego serviu Paquetá, mas o chute cruzado do convocado por Tite saiu fraco e Ronaldo defendeu sem problemas.

Até os 15, o Fla tinha certa tranquilidade para trocar passes no campo ofensivo. Sendo assim, por que não usar o pivô? Henrique Dourado recebeu de costas na entrada da área e serviu Éverton Ribeiro, que concluiu com perigo. Pouco depois, foi a vez do centroavante ser servido: após cruzamento para Réver, a bola sobrou para o artilheiro do time no ano, que pegou de primeira. Ronaldo fez boa defesa.

COM VITINHO LIGADO, FLAMENGO CHEGA AO GOL

Mas os problemas do Leão não se resumiam exclusivamente ao ímpeto dos donos da casa. Carpegiani teve de queimar uma alteração logo aos 30 minutos em virtude da lesão muscular de Arouca. Willian Farias entrou em seu lugar. Do outro lado, após algumas críticas de torcedores do Flamengo, Vitinho parecia mais ligado que de costume e tentou outro tiro de longa distância, dando trabalho ao goleiro adversário. Não satisfeito, o camisa 14 quis mais. E se seu primeiro gol com a camisa rubro-negra teimava em não vir, foi dele a jogada que tirou o grito da garganta dos quase 52 mil flamenguistas no Maraca. Vitinho cruzou, Paquetá subiu mais alto que o zagueiro e testou firme para baixo. Um dos destaques dos 45 minutos iniciais, Ronaldo ainda espalmou, mas Diego aproveitou o rebote e estufou as redes: 1 a 0 Flamengo, aos 40 minutos. Dourado ainda perderia a chance do segundo após bom cruzamento de Renê. Nada que mudasse o fato de que o time da casa iria para o vestiário em vantagem no marcador.

FLAMENGO CONTROLA JOGO EM SEGUNDO TEMPO DE POUCAS CHANCES

Com os três pontos indo para a conta, o Flamengo voltou do intervalo com o mesmo futebol do primeiro tempo, mas sem a mesma volúpia. Controlava a posse de bola e o jogo sem dar chances ao Vitória. No entanto, até os 16 minutos, quando o gol perdido no fim da etapa inicial pesou e Dourado foi substituído por Lincoln, o Rubro-Negro Carioca não havia criado nenhuma oportunidade de ampliar. A vontade de mostrar serviço do jovem atacante, que entrou roubando duas bolas no campo de ataque, contagiou os companheiros e, aos 20, Paquetá foi lançado por Éverton Ribeiro e, cara a cara com o goleiro, tocou por cobertura, mas a bola tirou tinta da trave.

Próximo à metade do período final, o Leão tentou levar perigo. Yago e Léo Ceará arriscaram finalizações à meia distância. A falta de pontaria, entretanto, evidenciou que as garras do Vitória não estavam afiadas. E nem as de Vitinho. Após excelente primeiro tempo, o ponta cansou e foi substituído por Marlos Moreno. Em sua primeira jogada, o colombiano rabiscou quatro marcadores, mas falhou na hora da conclusão. Só aos 39 Diego Alves teve de sujar o uniforme, se jogando para a direita de modo a salvar o que seria o tento de empate baiano, em chute cruzado de Lucas Fernandes. Assustado com a chance criada pelo adversário, Barbieri pôs mais um volante em campo: Piris da Mota entrou no lugar de Paquetá e atingiu seu objetivo. O Flamengo segurou a vitória – e o Vitória – , garantindo os três pontos no Maracanã.

 Flamengo 1 x 0 Vitória

Campeonato Brasileiro – 20ª rodada

Local: Maracanã (Rio de Janeiro – RJ)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (FIFA/GO).

Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (FIFA/GO) e Bruno Boschilia (FIFA/PR).

Flamengo: Diego Alves, Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuéllar; Éverton Ribeiro, Diego, Lucas Paquetá (Piris da Mota) e Vitinho (Marlos Moreno); Henrique Dourado (Lincoln). Técnico: Maurício Barbieri.

Vitória: Ronaldo, Jéferson, Lucas Ribeiro, Aderlan (Ruan Renato) e Benítez; Léo Gomes, Arouca (Willian Farias) e Rodrigo Andrade (Lucas Fernandes); Yago, Léo Ceará e Neílton. Técnico: Paulo César Carpegiani.

Gols: Diego (FLA, 40’/1T)

Cartões Amarelos: Éverton Ribeiro (FLA); Yago, Lucas Ribeiro (VIT).

Cartões Vermelhos: Não houve.

Público: 48.757 pagantes; 51.878 presentes.