Flamengo segura o Flu na Gávea e conquista o título do Torneio OPG

Após vitória no jogo de ida, empate garantiu o título do Fla na partida de volta | Divulgação (CRF)

No Fla-Flu, deu Fla! Em jogo equilibrado e disputa na tarde desta sexta-feira (23), no Estádio da Gávea, o Flamengo não saiu do zero com o Fluminense, e, por ter vencido a primeira partida por 1 a 0, terminou como o grande campeão do Torneio Otávio Pinto Guimarães de 2018.

Com o resultado, o Rubro-Negro, que já era o maior vencedor do OPG, aumenta seu número de troféus na história do campeonato para dez. Além disso, os comandados de Maurício Souza chegam a uma marca expressiva na temporada: são cinco finais disputadas e cinco títulos conquistados da categoria sub-20 do Fla no ano.

HUGO SOUZA SEGURA O TRICOLOR 

A partida começou com o Flamengo mais ativo no setor de ataque. Tanto que a primeira grande chance do jogo foi protagonizada pela equipe da casa. Aos nove, Pablo fez ótima jogada pelo lado esquerdo e cruzou para Luiz Henrique. O camisa dez, livre, bateu de primeira, mas por cima.

No minuto seguinte veio a resposta Tricolor. Dudu fez bela triangulação com Macula e Leandro, dominou e bateu de chapa. Hugo Souza operou um milagre na Gávea e evitou o primeiro gol dos moleques de Xerém. O Flu cresceu na partida e voltou a assustar pouco tempo depois. Após erro na saída de bola rubro-negra, Leandro recebeu dentro da área, mas pegou mal e a pelota passou por cima da meta de Hugo.

E a tarde parecia mesmo do arqueiro do Flamengo. Próximo ao fim da primeira etapa, Dudu teve outra grande oportunidade. O centroavante tricolor fez jogada individual pela esquerda e bateu firme. Hugo espalmou e, no rebote, Denilson mandou para o fundo das redes. No entanto, a arbitragem da partida assinalou impedimento e anulou o tento do Flu.

FLA ADMINISTRA VANTAGEM E LEVANTA A TAÇA 

Assim como na primeira etapa, o Flamengo tomou a iniciativa dos primeiros minutos do segundo tempo. Os meninos da Gávea buscavam explorar a velocidade pelas laterais, mas a bola não chegava com qualidade no último terço. Vitor Gabriel, centroavante rubro-negro e artilheiro da competição com nove gols, permaneceu isolado e pouco foi acionado na partida. O camisa nove deu lugar a Michael Rangel.

O Tricolor das Laranjeiras, por sua vez, tentava de todas as forças se aproximar da meta flamenguista, mas o jogo era truncado no meio de campo. Percebendo a inoperância ofensiva de sua equipe no confronto, o técnico Léo Percovich mandou a campo Gabriel Capixaba e Samuel. Gabriel, que foi titular no primeiro duelo da final, entrou bem e deu outra dinâmica para o meio de campo do Flu.

Mesmo com a melhora na meia e de uma tentativa de impor uma pressão nos minutos finais, o Fluminense continuou esbarrando na forte marcação do Flamengo. Os jogadores da equipe visitante chegaram a pedir um pênalti, em suposto toque de mão do zagueiro Patrick na área, mas o árbitro mandou seguir. O Fla se fechou bem e administrou o resultado que lhe garantiu mais um título na temporada.