Flu sofre com falhas em bolas paradas e perde para o Atlético-PR fora de casa

Léo Pereira marcou o terceiro gol da vitória do Furacão sobre o Fluminense (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Em duelo no meio da tabela do Brasileirão, melhor para os donos da casa. O Fluminense foi ao Paraná, neste domingo (16), para enfrentar o Atlético-PR e volta da região sul do país sem pontuar. Eficiente, o Furacão soube se aproveitar das falhas tricolores e de sua força nas bolas paradas e na Arena da Baixada e venceu o duelo por 3 a 1, conquistando sua sétima vitória consecutiva em casa no campeonato. Raphael Veiga, Pablo e Léo Pereira marcaram para o Rubro-negro, enquanto Luciano descontou para o Flu.

Com a vitória, o Atlético chega à 12ª posição, com 30 pontos na competição, e encosta, justamente, nos cariocas, já que o Fluminense permanece com 31 pontos ganhos, logo ali na 10ª colocação. Na próxima rodada, o Furacão terá pela frente o lanterna Paraná Clube, na própria Arena da Baixada, próximo domingo (23). Por sua vez, o Tricolor visita a Chapecoense, às 20 horas do dia 24 de setembro.

O JOGO

Separadas por apenas quatro pontos na classificação, as equipes entraram em campo para um confronto que tendia ao equilíbrio. E apesar do domínio inicial do Atlético-PR, o Fluminense chegou a assustar, aos 16 minutos, em chute cruzado do lateral Marlon que Kayke não conseguiu desviar, mesmo se atirando. Um minuto depois, o Furacão se aproveitou da chance desperdiçada pelo time carioca e também do espaço deixado pela marcação do Flu na intermediária. Lucho González teve liberdade e lançou na área. Nikão não conseguiu a matada, mas Gum – 400 jogos com a camisa tricolor – falhou no corte. Raphael Veiga pegou a sobra e fuzilou Júlio César: 1 a 0.

Aos 30 minutos, uma bobeira do goleiro Santos na saída de bola ofertou a Luciano a oportunidade do empate. No entanto, o arqueiro rubro-negro se recuperou com uma grande defesa. Já no final da primeira etapa, o Furacão teve falta para cobrar no ataque e quem apareceu foi Tiago Nunes. Isso mesmo! O técnico do Atlético foi o grande responsável por aquele que seria o segundo gol dos paranaenses, em uma jogada muito bem ensaiada. À cobrança curta, enquanto todos esperavam o cruzamento, se sucedeu o passe em profundidade para Jonathan. No fundo o lateral cruzou por baixo e encontrou o artilheiro Pablo, já sem goleiro, para empurrar para as redes aos 44.

Com a desvantagem, Marcelo Oliveira tentou modificar o jogo com a entrada de Marcos Júnior. Mas o primeiro lance de perigo do segundo tempo foi do Atlético-PR, logo aos dois minutos. Júlio César saiu da área para cortar lançamento, só que não mandou longe. Raphael Veiga aproveitou a sobra, driblou o arqueiro e, da meia-lua, encobriu os defensores. Caprichosamente, a bola beijou o travessão e se perdeu pela linha de fundo. Recuperado do susto, o Flu se arrumou em campo. E, aos 14, chegou ao gol: Everaldo recebeu de Sornoza um escanteio curto e, contra todos os prognósticos, a jogada deu certo. O ponta trouxe para o bico da área e bateu cruzado. Vivo no lance, Luciano se curvou para trás e desviou de cabeça, matando o arqueiro Santos: 2 a 1.

Mas foi pouco diante da solidez atleticana em casa. Com o jogo novamente controlado, o Furacão teve escanteio pela esquerda, aos 25. Raphael Veiga cruzou na medida para Léo Pereira. O zagueiro veio embalado, subiu mais que todo mundo e cabeceou firme, no contrapé de Júlio César para sacramentar a vitória pelo placar de 3 a 1. O gol, pouco mais de 10 minutos depois do tento anotado por Luciano, foi uma ducha de água fria na reação do Fluminense. Sendo assim, bastou ao Atlético administrar a vantagem conquistada para deixar a Arena com o oitavo triunfo da equipe na competição.

Atlético-PR 3 x 1 Fluminense

Brasileirão – 25ª rodada

Local: Arena da Baixada (Curitiba-PR)

Árbitro: André Luiz Freitas de Castro (GO).

Auxiliares: Bruno Raphael Pires (Fifa/GO) e Leone Carvalho Rocha (GO).

Atlético-PR: Santos, Jonathan, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington (Bruno Guimarães) e Lucho González; Nikão, Raphael Veiga (Guilherme) e Marcinho (Marcelo Cirino); Pablo. Técnico: Tiago Nunes.

Fluminense: Júlio César, Léo, Gum, Digão e Marlon; Richard e Dodi (Marcos Júnior); Jádson (Júnior Dutra), Luciano e Everaldo; Kayke (Sornoza). Técnico: Marcelo Oliveira.

Gols: Raphael Veiga (CAP – 17’/1T), Pablo (CAP – 44’/1T), Luciano (FLU – 14’/2T) e Léo Pereira (CAP – 25’/2T).

Cartões Amarelos: Paulo André, Renan Lodi e Wellington (CAP); Léo e Marlon (FLU).

Cartões Vermelhos: Não houve.

Público: 10.343 presentes.