Garoto Marrony faz gol da vitória e tira Vasco da zona de rebaixamento

Marrony fez o gol da vitória do Vasco sobre o Bahia (Foto: Reprodução Twitter/Sportv)

Dezenove anos. Um gol marcado como profissional. Uma noite inesquecível e uma história para contar aos descendentes. Esse foi o saldo levado pelo garoto Marrony do duelo decisivo da noite desta segunda (24) contra o Bahia, em São Januário. Saído do banco aos 15 da segunda etapa, o jovem mudou a sorte do Vasco e, com um gol de cabeça aos 32 minutos do segundo tempo, deu a vitória ao Gigante da Colina por 2 a 1 e tirou a equipe da zona de rebaixamento.

O triunfo eleva o Cruz-Maltino a 28 pontos (com um jogo a menos). Graças a derrota da Chapecoense para o Fluminense, também nesta segunda, a equipe carioca alcança a 16ª posição, devido ao número de vitórias – uma a mais que os catarinenses. Os três pontos conquistados na Colina Histórica também aproximam o Vasco do rival desta noite, ficando a apenas um ponto do próprio Bahia, 15º colocado.

Na próxima quinta-feira (27), o Gigante iguala o número de jogos dos rivais, cumprindo o duelo que lhe falta contra o Santos, às 20h, na Vila Belmiro. A próxima rodada, reserva ao Vasco novo duelo na segunda-feira (1º): desta vez contra o Paraná, no Durival Britto. Já o Bahia tem toda a semana para se preparar para o confronto contra o Flamengo, no sábado, 29, na Fonte Nova.

MARTÍN SILVA SEGURA ÍMPETO INICIAL DO BAHIA

Para um jogo decisivo na luta contra o rebaixamento, Alberto Valentim apostou em um esquema com dois laterais de origem atuando juntos no meio de campo – Yago Pikachu e Fabrício – e dois centroavantes de ofício, Ríos e Maxi López, entre os 11 iniciais. Uma formação ofensiva que indicava uma avalanche logo no começo. E ela veio. Mas, para surpresa de todos, foi o Bahia quem partiu para cima. Logo a um minuto, Gilberto recebeu cruzamento e tentou de letra. Martín Silva defendeu. No minuto seguinte, Castán deu presente ao ataque tricolor e outra vez brilhou o goleiro uruguaio do Vasco. Na sobra, Gilberto ainda mandou para fora. Antes dos cinco minutos, o centroavante ex-Vasco ainda teria mais uma oportunidade, a mais cristalina delas. Após cruzamento, ele tinha pela frente apenas o gol vazio. Mas, inexplicavelmente, quando o gol parecia fato consumado, surgiu de novo Martín Silva para fazer uma defesa sensacional, capaz de fazer diminuir a pressão baiana.

DOUGLAS É EXPULSO, PIKACHU ABRE O PLACAR, MAS VASCO NÃO APROVEITA VANTAGEM

Mesmo mantendo o adversário um pouco mais longe do seu gol, o Vasco não conseguia se impor em casa. Com mais posse de bola mas com dificuldades na articulação, só teve chance real de gol quando a zaga do Bahia deu bobeira e Ríos saiu cara a cara com o arqueiro. O argentino driblou e Douglas apelou: pênalti e cartão vermelho para o arqueiro tricolor. De frente para o reserva Fernando, que entrou no lugar de Paulinho, Yago Pikachu não se afobou e abriu o placar.

O homem a mais, entretanto, não foi vantagem para um Gigante da Colina que parecia despreparado para a responsabilidade de propor o jogo contra um adversário que se fechava. Assim, o Bahia surpreendeu pela segunda vez na partida. Depois da pressão inicial, o Tricolor se encontrou no jogo a ponto de conseguir chegar perto do empate em cabeçada de Gilberto, aos 44, e concretizá-lo, minutos depois, nos acréscimos, quando o mesmo Gilberto limpou a marcação na entrada da área e tirou do alcance de Martín: 1 a 1.

O segundo tempo não mudou muito o panorama. A não ser pela presença de um Bahia que, na aparência, ficara saciado com o tento marcado na reta final da etapa primeira. Com Giovanni Augusto no lugar de Lenon, a indicação de Valentim era de um time ainda mais ofensivo. De fato, o Cruz-Maltino chegou a finalizar com Maxi López, em tentativa de letra, e com Fabrício em jogada de contragolpe, parando no goleiro. Mas, no geral, o que se viu foi uma equipe desorganizada na hora de agredir o oponente e que, mesmo com um a mais, penava para criar chances de gol.

MARRONY ESCREVE UMA NOVA HISTÓRIA

Até que Marrony veio do banco para o lugar de Thiago Galhardo – que saiu vaiado. Não que a entrada do garoto de 19 anos tenha transformado o meio de campo do Vasco em um oásis criativo. Mas, aos 32 minutos, a joia da base logrou fazer o que nem López nem Ríos haviam sido capazes até ali. Em cruzamento de Pikachu, o jovem se impôs fisicamente à marcação, subiu mais alto e cabeceou forte, para baixo, sem chances para Fernando. Na comemoração, a camisa mandada aos ares deixou nu o peito que fervia pela emoção do primeiro gol marcado como profissional. O gol da vitória em casa em duelo decisivo. O gol que tirou o Vasco da zona de rebaixamento.

Vasco 2 x 1 Bahia

Brasileirão, 26ª rodada

Local: São Januário (Rio de Janeiro – RJ)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Auxiliares: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)

Vasco: Martín Silva, Lenon (Giovanni Augusto), Luiz Gustavo, Leandro Castán e Ramon; Willian Maranhão, Yago Pikachu, Fabrício (Kelvin) e Thiago Galhardo (Marrony); Andrés Ríos e Maxi López. Técnico: Alberto Valentim.

Bahia: Douglas Friedrich, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Everson e Léo; Nilton (Marco Antônio) e Gregore; Élber (Flávio), Ramires e Paulinho (Fernando); Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.

Gols: Yago Pikachu (VAS – 31’/1T), Gilberto (BAH – 48’/1T) e Marrony (VAS – 32’/2T).

Cartões Amarelos: Willian Maranhão, Giovanni Augusto, Yago Pikachu, Marrony e Maxi López (VAS); Everson e Léo (BAH).

Cartões Vermelhos: Douglas Friedrich (BAH).

Público: 12.804 pagantes; 13.293 presentes.