Gonçalo Luiz: Personagens da Copa – O arrastão de Mbappé

Depois de um dia de tremores e delírios pela abstinência mundialista, a Copa voltou para o bem de todos. E logo com dois grandes jogos para tornar a escolha do personagem do primeiro dia de oitavas de final, praticamente, uma covardia. Mas, enquanto Cavani e Suárez, sob a batuta do Maestro Tabárez, ensinavam a Cristiano Ronaldo e Messi que “é impossível ser feliz sozinho”, como nos lembra há anos outro maestro, Tom Jobim, certo imbecil preferia usar a internet para dizer que Mbappé poderia usar sua rapidez para fazer bons arrastões por aí.

De fato, aquele negro maravilhoso fez seu arrastão, neste sábado (30), em Kazan. Arrastou, por exemplo, Marcos Rojo por mais de 60 metros antes de sofrer o pênalti convertido Griezmann. Arrastou toda a defesa argentina para marcar o terceiro gol francês, desvirando a virada sofrida no início do segundo tempo. Arrastou a Argentina para fora da Copa, fazendo o quarto gol azul em um contra-ataque fulminante. Arrastou para si os corações de todos aqueles que amam o futebol, numa tarde de magia no máximo palco do esporte mundial.

Em cada drible e arrancada, o garoto de 19 anos fez jus não à aparência que lhe fez ganhar de Neymar o apelido de Tartaruga Ninja. Mas sim, aos traços de cada um dos pintores renascentistas que dão nome às personagens dos quadrinhos e desenhos animados. Com dois gols decisivos em seu primeiro jogo de mata-mata em Copas, demonstrou a potência de uma geração que simboliza uma espécie de renascimento do futebol francês após a aposentadoria de Zidane, um de seus maiores gênios.

A atuação emblemática de Kylian Mbappé deu mostras do que já é e do que ainda  pode ser. Ele próprio: grande jogador que pode se tornar craque, melhor do mundo um dia, por que não? Essa França: grande time no papel e, cada vez mais, na prática, que pode se tornar campeã do mundo. De quebra, aproveitou para dar uma aula para idotas que ainda pensem que pernas negras foram feitas para correr da polícia. Elas foram feitas para brincar, fazer arte, entortar zagueiros e para conquistar fama, dinheiro e glória em gramados por aí. E o que mais elas quiserem.

*Crédito da foto: Michael Dauder/Reuters