Gonçalo Luiz: Personagens da Copa – Toni Kroos é preciso

Toni Kroos salvou a Alemanha e é o Personagem do Dia na Copa do Mundo (Foto: Getty Images)

O dom de surpreender é para poucos. Porque, pense só: quando alguém surpreende muitas vezes, o feito deixa, justamente, de ser uma surpresa. É assim para a maioria dos seres humanos. Não para Toni Kroos.

O alemão de 28 anos é diferente porque trabalha, por assim dizer, em outro departamento. Garrincha era imparável driblando para a direita. Era sabido. E, mesmo assim, ninguém desarmava o Mané. O vídeo dos franceses, às vésperas da final da Copa de 1998, descrevendo em minúcias o que Ronaldo fazia com a bola em suas arrancadas é um viral. No entanto, outros virais mostram o quanto o Fenômeno era imarcável. Mas Toni Kroos é diferente. Enquanto os brasileiros – Neymar incluso no grupo seleto – são do ramo da imprevisibilidade, o meia do Real Madrid funciona no padrão.

O que faz o autor dos gols três e quatro no 7 a 1 não é só o improvável. É o impossível. E, neste sábado (23), em Sochi ele deu provas mais uma vez. Contra a Suécia, dominou as ações como cansa de fazer desde os tempos de Bayern de Munique. Passe certo atrás de passe certo. Não importa a distância. Se é de lado, invertendo o jogo; se é para frente, superando as linhas de marcação; se é curto, numa tabela; se é longo, lançando os companheiros no espaço vazio. Você duvida que ele vai botar a bola lá: ele põe. Você não acredita que ele vai acertar mais um e, quando vê, a jogada já continuou.

Vale a pena admirar Kroos. É como a mágica no sincronismo dos ponteiros do relógio. E, na noite russa, quando os ponteiros apontam 50 minutos e vencer é preciso… Toni Kroos é preciso. Em todos os sentidos. Não deu para Olsen, não deu para a Suécia.  Só deu para duvidar, de novo, da perfeição que não é divina. Mas Kroos surpreende e coloca lá outra vez. A bola, no lugar certo. A Alemanha, campeã do mundo, no seu lugar de direito.