Gustavo Erak levanta o público, Herberth Índio desbanca Glyan Alves e João Alicate se destaca no Future FC 3

O público que lotou o ginásio 9 de Julho em Indaiatuba-SP para assistir à terceira edição do Future FC, realizado nessa sexta-feira, foi brindado com excelente duelos. Na luta principal, o anfitrião Gustavo Erak começou correndo sérios riscos de ser nocauteado por Wanderley Mexicano, mas mostrou ser um verdadeiro atleta de MMA, mudou a estratégia a tempo, passou a aplicar inúmeras quedas e levantou a torcida com a vitória por decisão unânime, sua segunda na organização.

Erak dominou os três rounds.(Foto: Future FC)

Antes, na luta co-principal, Herberth Índio retornou aos cages após mais de um ano sem lutar e, pela frente, teve ninguém menos que o então melhor peso-galo do cenário nacional, de acordo com especialistas. Campeão do Shooto Brasil e do Juiz de Fora Fight, Glyan Alves era apontado como o cara a ser batido na categoria. E Índio não tomou conhecimento, nem golpes. Fintou, colocou para baixo, finalizou com mata-leão no primeiro round e garantiu o bônus de US$ 500 como prêmio de melhor lutador da noite.

Índio não tomou conhecimento de Glyan Alves. (Foto: Marquinhos Santos)

Os US$ 500 de melhor definição da noite e o contrato com o LFA ficaram com o peso-mosca João Alicate. O jovem de 24 anos fez uma batalha recheada de reviravoltas contra Rafinha Costa, primo do lutador do UFC Charles do Bronx. Depois de quase ser pego no triângulo de mão, Alicate partiu para a ofensiva, aplicou dois knockdowns e definiu com um armlock tirado da cartola, anotando a sétima finalização da carreira.

    João Alicate faturou o bônus de finalização da noite. (Foto: Marquinhos Santos)

 

O prêmio de melhor luta da noite foi para dois pesos-galos. Filho do lutador Diego Braga, Gabriel Braga provou por que é apontado como uma das principais apostas da categoria no Brasil. Contra o perigosíssimo striker Thiago Taveira, o carioca de 20 anos mostrou uma experiência de veterano, soube colocar a luta para o chão quando necessário e, ao longo do disputado combate, foi crescendo ao ponto de quase nocautear. Resistente e sempre oferecendo perigo, Taveira resistiu até o fim, mas, no final, a vitória foi para Gabriel, por decisão unânime. Cada um ganhou US$ 500 de bônus pelo espetáculo.

Luta da noite, Gabriel Braga e Thiago Taveiram deram um show. (Foto: Marquinhos Santos)

 

O Future FC 4 está programada para o dia 19 de abril, em local ainda ser anunciado pela organização. As votações para formar o card da edição já estão abertas e vão até a próxima segunda-feira. Os fãs podem votar através da seção People’s Fight do aplicativo do evento, disponível gratuitamente no Google Play e na App Store. Desta vez, o evento traz de volta os tradicionais confrontos entre estados, resgatando osclássicos regionais de forma sadia.

 

Future FC 3

22 de março de 2019

Clube 9 de Julho, Indaiatuba-SP

 

Gustavo Erak venceu Wanderley Mexicano por decisão unânime

Herberth Índio finalizou Glyan Alves com um mata-leão aos 3:49 do R1

Denis Alagoas venceu Elvis Oliveira por decisão unânime

João Alicate finalizou Rafinha Costa com um armlock aos 2:17 do R2

Fábio Vasconcelos venceu Marcus Tatu por decisão unânime

Brendo Bispo venceu Magnus Kelly por decisão unânime

Luiz Cado venceu Claudiere Freitas por nocaute técnico aos 4:21 do R2

Tamyray Lacerda venceu Marivan Jacaré por decisão unânime

Willian Barbosa venceu Kaique Modesto por decisão unânime

Edson Jabá venceu Ozias Bull Terrier por desistência verbal (Ozias lesionou o joelho em uma posição) aos 2:37 do R2

Renan Problema venceu Fabrício Pitbull por nocaute técnico aos 3:57 do R2

Monique Adriane venceu Vanessa Santos por nocaute técnico aos 2:26 do R1

Gabriel Braga venceu Thiago Taveira por decisão unânime