Identificado com o America, Kunzel declara: “Voltará ao cenário nacional”

Kunzel marcou o gol na vitória sobre o Audax, que garantiu o acesso Rubro em 2017 | Reprodução/Facebook

Da alegria do acesso à frustração do descenso. É inegável o misto de emoções que já viveu o camisa sete Anderson Künzel representando as cores do America. No clube desde o ano passado, o atleta já disputou 30 partidas e marcou oito gols com a camisa Rubra.

E logo no começo desta passagem de Künzel pela equipe da Rua Campos Salles, veio o primeiro drama. No dia 7 de junho, em jogo válido pela segunda rodada da Taça Santos Dumont, primeiro turno do Campeonato Carioca Série B1, o lateral direito marcou o seu primeiro gol pelo clube, mas pouco deu para comemorar.

INÍCIO CONTURBADO E O ACESSO

No lance que originou o tento, o atleta se chocou com o goleiro Santos, do Barra Mansa, e teve que ser retirado de ambulância do estádio Nivaldo Pereira, em Austin. Resultado? Foi constatada uma fratura no arco zigomático, no rosto. Desde então, foram dois longos meses de recuperação até estar 100% para atuar novamente.

– Foi um período bem difícil. A lesão, àquela altura, não era o que mais me incomodava. O que mais me aborrecia eram os resultados, não vínhamos jogando bem. Quando isso acontece e você não pode ajudar por estar machucado, é bem pior. Restou sofrer em casa e torcer. Mas minha esposa, meus pais e amigos estavam sempre me apoiando e cuidando para que eu voltasse o quanto antes – revelou.

No retorno aos gramados, reconhecido por sua polivalência, não demorou para ser deslocado da lateral direita para o meio campo. E funcionou. Anderson foi peça fundamental no acesso Rubro à elite, com direito a gol decisivo na partida contra o Audax, que garantiu o retorno do America para a primeira divisão do Campeonato Carioca.

– Quando voltei o ambiente não era o mesmo. A nossa confiança estava baixa e estávamos na final do returno. A minha primeira partida como titular após a lesão era decisiva. Dependíamos de outros resultados, mas graças a Deus nos classificamos, e tudo mudou. Senti um misto de emoções no jogo do acesso. O gol, saber que estava entrando para história do America e da competição, por tudo que passei, foi inexplicável – lembrou.

Identificado com clube, Anderson é um dos símbolos da atual equipe Rubra | Márcio Menzes (AFC)

A DOR DO DESCENSO E O CARINHO DO TORCEDOR

Com algumas mudanças na formação do elenco para a primeira fase do Campeonato Carioca Série A, Anderson Künzel foi um dos que permaneceu e vivenciou a ruim campanha da equipe Rubra, que culminou na ida para o grupo X e, em seguida, no rebaixamento.

– Eu tento entender até hoje o porquê do descenso. Tínhamos um grupo muito bom, assim como na Série B1 de 2017. Acho que o time demorou para encaixar e tivemos lesões de jogadores importantes. Mesmo com todos esses problemas, nós só ficamos fora por um ponto, faltou bem pouco – ressaltou.

Ao todo foram nove jogos disputados, e apenas três vitórias. E mesmo com o desempenho ruim e o rebaixamento, Künzel foi uma das principais figuras da equipe atuando em diversas posições e marcando gols. Desempenho que é reconhecido pelo torcedor rubro. O atleta de 28 anos é um dos mais requisitados e elogiados pela exigente torcida americana.

– É uma coisa muito boa. O torcedor cobra bastante, mas isso se deve a gloriosa história do clube. Muitos apoiam e entendem a situação atual do clube. Estamos em tempo de renovação e o America, sem dúvida, vai voltar ao cenário nacional. Para isso, o carinho e a força do torcedor são fundamentais. Estar em contato com essa torcida é excepcional – completou.

Atualmente o America, de Anderson Kunzel, se prepara para a Taça Corcovado, segundo turno do Campeonato Carioca Série B1, que começa no próximo sábado (14). A equipe Rubra encara o Friburguense, às 15 horas, no estádio Giulite Coutinho, em Mesquita.