Leleco Guimarães disputará cinturão do WFCA na Rússia

De volta ao caminho das vitórias e com uma disputa de cinturão marcada para o dia 24 de fevereiro, o soteropolitano Leonardo “Leleco” Guimarães começa o ano de 2018 com grandes expectativas, sendo uma delas retornar ao UFC e mostrar que as derrotas dentro da organização foram uma fatalidade.

Escalado para o Main Event do Akhmat Fight Club 45, em Grozny na Rússia, onde enfrentará o atleta local Maxim Grishin pelo cinturão dos meio-pesados. O lutador brasileiro, que vem de vitória no WOCS 48 por finalização, começou a treinar Karatê aos 6 anos de idade motivado pela mãe por ele ser uma criança hiperativa.

Após alguns anos Leleco migrou para outras artes marciais, apesar de competir na adolescência no Karatê de contato e também no kickboxing, logo conheceu e se apaixonou pelo jiu jitsu. Começou a competir poucos meses após iniciar os treinos na arte suave. Hoje, aos 35 anos, é faixa preta de Karatê e Jiu Jitsu.

Antes da estreia no UFC o atleta somava um impressionante cartel de 10 vitórias e 1 derrota. Suas vitórias em eventos como Jungle Fight, Imortal FC e Iron Fight Combat chamaram a atenção de Dana White que contratou o brasileiro para sua organização. Acostumado a lutar nos meio-pesados(93kg) onde o corte de peso era menos desgastante, Leleco foi colocado em duas lutas na categoria dos médios(84kg) e consequentemente tendo que fazer um corte de peso bem maior do que era acostumado. Não se adaptando bem ao corte de peso acabou perdendo as duas lutas que disputou na organização.

“Espero que em 2018 eu tenha uma boa sequencia de vitórias. No UFC eu havia fechado o contrato na categoria até 93kg, porém como estava demorando a casar a minha 1ª luta eu sinalizei que conseguiria chegar aos 84kg para lutar nos médios e rapidamente a organização casou a minha luta. Infelizmente neste peso fiquei debilitado e acabei perdendo as duas lutas na organização.” – explica

O recomeço do lutador baiano deu início em dezembro do último ano, com sua primeira vitória após deixar o UFC e posteriormente recebendo o convite para disputar o cinturão na Rússia.

“Eu estava com uma luta programada para o Kazaquistão em dezembro, porém os organizadores mudaram esta luta para Abril. Neste meio tempo, alguns dos organizadores viram os vídeos das minhas lutas e gostaram do meu cartel, meus mestres gostaram da proposta e nós aceitamos a disputa de cinturão.” – conta

Com um cartel de 12 vitórias e 5 derrotas, Leleco Guimarães tem seu maior número de vitórias por finalização, são 7 no total. O adversário Maxim Grishin tem 33 anos e um cartel de 25 vitórias e 7 derrotas. O russo de 1,91m soma 13 vitórias por nocaute na carreira, o que fará desta luta um duelo de opostos. Enquanto o brasileiro é especialista na luta de solo, o russo gosta da luta em pé.

Vale ressaltar que das 7 derrotas de Maxim Grishin 4 delas foram por finalização, o que deixa claro o caminho que Leleco Guimarães poderá percorrer para trazer o cinturão para o Brasil.

“O russo é um lutador duro e estou com meus coach’s da TFT me preparando para surpreender. É claro que a luta de solo é uma grande possibilidade, mas estou me preparando também para utilizar o clinch e trocar porrada em pé se for necessário. A estratégia principal é trazer o cinturão para o Brasil.” – finaliza

O card também contará com outro brasileiro, na anti-penúltima luta da noite, o curitibano Marcão “Bad Face” Santana enfrentará o russo Abubakar Vegaev na categoria dos meio-médios. O curitibano soma 21 vitórias em 31 lutas na carreira.