Marcelo Salles está de volta ao comando do Bonsucesso | Emerson Pereira/Super Gol

Marcelo Salles apresenta um Bonsucesso repaginado e ambicioso para o Carioca

O Bonsucesso começa o Campeonato Carioca sem contratações badaladas, tropeça nas primeiras rodadas e, quando todos já dão o clube como rebaixado, uma improvável sequência de bons resultados, combinada com vacilos dos principais rivais, mantém o rubro-anil na Série A. O técnico Marcelo Sales trabalha para que, desta vez, o filme tenha um desfecho mais surpreendente, no qual o Leão da Leopoldina possa finalmente voltar a rugir alto, deixando de lado o papel de figurante, que nunca cai bem para um clube centenário.

Familiar mesmo para o torcedor, apenas as caras conhecidas de um elenco operário. O próprio treinador já esteve no clube, em 2015, quando ajudou a evitar mais um rebaixamento. De volta à Avenida Teixeira de Castro, Sales encontrou uma realidade diferente, que o permite sonhar. Ele está satisfeito com o andamento do trabalhos, que acontecem na Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA), em Sulacap, Zona Oeste do Rio.

— Estamos utilizando as instalações da CDA, que são fantásticas. Temos hotel com 45 quartos, dois campos, academia, refeitório, toda a estrutura necessária para um time de alto nível, o que hoje é um diferencial para o Bonsucesso, porque há bem pouco tempo, as pessoas só pensavam que o clube tinha á disposição a estrutura do Estádio Leônidas da Silva. Temos também uma comissão técnica estruturada, com fisioterapeuta, fisiologista, coach, analista e desempenho, uma equipe para dar todo o suporte necessário. O Bonsucesso vem para brigar de igual para igual com os demais clubes, não será coadjuvante. Estamos trabalhando para chegar à fase final do Carioca e fazer uma boa campanha — afirma.

O rubro-anil foi um dos primeiros clubes a iniciar preparação para o Campeonato Carioca: começou a treinar dia 17 de novembro. Desde então, já fez três jogos-treino: foi derrotado pelo time sub-20 do Fluminense por 1 a 0, pelos reservas do Botafogo por 1 a 0 e, nesta sexta-feira, venceu seu primeiro desafio: 2 a 1 sobre o Boavista, no CFZ. O treinador está otimista e enxerga evolução, mas garante estar longe de ter um time definido para a estreia contra o America, que acontece dia 20 de dezembro, no Estádio Giulite Coutinho.

— Estamos testando nossa maneira de jogar e trocando peças, preciso ver os atletas em ação. Creio que só vá definir os titulares mesmo na semana do jogo. Até lá, os jogadores precisam entender que devem disputar posição. Essa competitividade será muito benéfica na fase preliminar do Carioca. E nosso elenco ainda não está fechado. Os jogos-treino demonstram evolução: fomos melhores contra o Botafogo do que contra o Fluminense, e desperdiçamos um pênalti, que poderia ter empatado a partida. Contra o Boavista, tivemos boa produção ofensiva e conseguimos vencer — comemora.

A fase preliminar do Campeonato Carioca oferece duas vagas na etapa final da competição e será disputada em turno único. Além de America e Bonsucesso, Cabofriense, Goytacaz, Macaé e Resende vão buscar classificação.