Martín Silva decide e coloca o Vasco na fase de grupos da Libertadores

Foi um teste para cardíaco. O que parecia impossível quase aconteceu. O Vasco, depois de vencer por 4 a 0 em São Januário, na última semana, poderia perder por até três gols de diferença na noite quarta-feira (21), em Sucre, na Bolívia, que mesmo assim se classificaria para a fase de grupos da Libertadores. E fez pior: perdeu por 4 a 0 no tempo normal e viu a decisão ir para os pênaltis. Nas cobranças, melhor para o Cruz Maltino, que venceu por 3 a 2, com um atuação de gala do goleiro uruguaio Martín Silva.

O jogo começou exatamente como o Vasco não queria. O Jorge Wilstermann, atrás no placar e sem muito o que perder, foi para cima e em apenas 16 minutos já vencia por 3 a 0, com gols de cabeça Zenteno, após cobrança de escanteio aos cinco minutos, Pedriel, que aproveitou lançamento para dentro da área no minuto seguinte e Chávez que escorou cruzamento para o fundo das redes aos 16.

A partir daí os bolivianos precisavam, então, de apenas mais um gol para levar a decisão para os pênaltis. O Cruzmaltino que parecia perdido em campo, não conseguia trocar passes e aliviar a pressão, foi para o vestiário no “lucro” por não estar perdendo por mais.

Na volta do intervalo o Vasco melhorou, conseguiu trocar passes no campo de ataque e diminuiu a pressão do Jorge Wilstermann. O problema é que a altitude de cerca de 2.800m de Sucre começou a surtir efeito. Com o brasileiro Serginho inspirado pela esquerda, os donos da casa voltaram a pressionar e fizeram o quarto e decisivo gol, novamente com Zenteno que aproveitou falta cobrada para dentro da área e aos 25 minutos, desviou de cabeça , levando a decisão para os pênaltis, exatamente num momento em que o Cruzmaltino parecia segurar bem o adversário.

Nos pênaltis, Martín Silva foi herói. O goleiro do Vasco defendeu defendeu três cobranças do Jorge Wilstermann: de Lucas Gaúcho, Meleán e Alex Silva. O Gigante da Colina venceu por 3 a 2 com gols de Ríos, Pikachu e Wellington, já que Desábato e Rildo desperdiçaram suas cobranças. Melgar e Ortiz marcaram para os donos da casa.

Classificado à fase de grupos da Libertadores de 2018, o Vasco se juntará a Cruzeiro, Racing-ARG e Universidad de Chile-CHI no Grupo 5 e tem estreia marcada para o dia 13 de março, contra os chilenos, às 21h45min, em São Januário.

Agora, o Gigante da Colina tem pela frente o confronto contra a Portuguesa, no próximo domingo (25), pela segunda rodada da Taça Rio,  segundo turno do Campeonato Carioca, às 17h, no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita. Vale lembra, que o duelo do Vasco válido pela primeira rodada, contra o Macaé, foi adiado para o dia 01 de março, às 19h30min, em São Januário.

Jorge Wilstermann (BOL) 4×0 Vasco

Estádio Olimpico Patria (Sucre)

Árbitro: Wilmar Roldán (COL)

Assistentes: Alexander Guzman (COL) e Cristian de la Cruz (COL)

Jorge Wilstermann: Giménez; Meleán, Alex Silva, Zenteno e Aponte; Saucedo (Ortíz), Machado, Pedriel (Lucas Gaúcho) e Chávez (Melgar); Serginho e Álvarez. Técnico: Alvaro Peña.

Vasco: Martín Silva; Yago Pikachu, Paulão, Ricardo Graça e Henrique; Desábato, Wellington, Wagner (Rildo) e Evander (Thiago Galhardo); Paulinho (Riascos) e Andrés Rios. Técnico: Zé Ricardo.

Cartões amarelos: Alex Silva e Lucas Gaúcho (Jorge Wilstermann); Martín Silva, Ricardo Graça e Henrique (Vasco)

Cartões vermelhos: Thiago Galhardo (Vasco)

Gols: Zenteno – Jorge Wilstermann (05/1º tempo); Pedriel – Jorge Wilstermann (06/1º tempo); Chávez – Jorge Wilstermann (16/1º tempo); Zenteno – Jorge Wilstermann (25/2º tempo)