Ícone do futebol amazonense, Amadeu Teixeira era o símbolo máximo do América-AM | Divugalção

Morre Amadeu Teixeira, o treinador mais longevo do mundo e símbolo do América-AM

Os 27 anos do reinado de Alex Ferguson no comando do Manchester United podem parecer uma eternidade na sempre sensível correlação entre treinadores e tempo de trabalho em um só clube, mas não é preciso ir tão longe para buscar o recorde mundial, que é brasileiro. Fundador do América Futebol Clube do Amazonas, Amadeu Teixeira se dividiu por cinco décadas entre a presidência do clube que fundou e a função de treinador, em Manaus. O feito rendeu ao amazonense a presença no Guiness Book, o livro dos recordes, de treinador mais longevo do planeta. O nome e as cores da equipe amazonense são uma homenagem ao homônimo carioca.

Amadeu Teixeira morreu nesta terça-feira, aos 91 anos, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular da capital amazonense, nesta terça-feira. A internação foi fruto de um acidente doméstico ocorrido na véspera, que provocou a quebra de três costelas e uma parada cardíaca. Símbolo de amor ao esporte amazonense, Amadeu recebeu diversas homenagens nos últimos anos. Entre elas, o ginásio poliesportivo localizado ao lado da Arena Amazônia foi batizado com seu nome. De acordo com o diário Amazonense “A Crítica”, a homenagem foi desfeita após queixa do Ministério Público Federal pelo fato de o homenageado estar vivo na época.

O América é dono de seis títulos do Campeonato Amazonense, o que faz do Diabo o quarto maior vencedor da história da competição, atrás de Nacional (41), Rio Negro (16), Fast e São Raimundo (7). Dos seis títulos, cinco foram conquistados durante a gestão de Amadeu Teixeira. Com o último título, o de 2009, o clube garantiu presença na Série D do Campeonato Brasileiro. Na época, o colorado superou as semifinais da competição, nas quais venceu o Madureira, mas acabou punido por causa da escalação de jogadores que não estavam inscritos no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, o que fez com que o clube não chegasse à Série C.

Na ocasião, o América alegou que o atleta foi inscrito, mas o nome do atleta teria desaparecido da plataforma digital. O fato provocou o desânimo do dirigente, que deixou de acompanhar a rotina do clube, entregue aos filhos e netos. Atualmente, o clube é presidido por Bruna Parente, neta de Amadeu. Nos últimos anos, o clube estava afastado do futebol profissional e buscava parceiros para retomar a atividade.

O corpo de Amadeu Teixeira será velado nesta quarta-feira, a partir das 6h, na Arena da Amazônia. O sepultamento ainda não tem horário definido, mas acontecerá no cemitério São João Batista, em Manaus.