NFL: Packers perdem a segunda seguida e ligam sinal de alerta

Segunda derrota consecutiva deixou os Pacers em situação delicada na NFL | Divulgação
Segunda derrota consecutiva deixou os Pacers em situação delicada na NFL | Divulgação
Segunda derrota consecutiva deixou os Pacers em situação delicada na NFL | Divulgação
Segunda derrota consecutiva deixou os Pacers em situação delicada na NFL | Divulgação

Ausente por lesão, Aaron Rodgers é imprescindível para o time de Wiscosin

A derrota do time de Greenbay para o New Orleans Saints por 26 a 17 nessa semana sete comprovou o quanto Aaron Rodgers é indispensável para a caminhada do time rumo ao superbowl. O quarterback sofreu uma fratura na clavícula após um “late hit” de Anthony Barr, na semana retrasada contra os vikings e está fora da temporada.

Devido à ausência do seu principal jogador, quem assumiu o ataque do time foi o reserva Brett Hundley, que fez sua estreia como titular na NFL.

Recrutado na quinta rodada do draft de 2015, após boa carreira universitária em UCLA, Hundley havia entrado em quatro jogos de temporada regular pelos Packers, apresentando um desempenho muito ruim, com dois passes completos de dez tentados, 17 jardas e uma interceptação.

Devido aos números fracos apresentados pelo jovem quarterback, os Packers até cogitaram trocá-lo no último draft.

O primeiro jogo de Brett a frente do ataque de Greenbay foi o suficiente para os Packers ligarem o alerta em relação ao restante da temporada. A inexperiência do jogador foi evidente, com muitas leituras de jogo erradas e nervosismo nas situações em que o pocket entrava em colapso, se livrando da bola rápido demais.

Nem o bom desempenho do running back Aaron Jones, que correu pra 131 jardas e anotou um touchdown, foi suficiente para tirar o peso das costas de Hundley, que apesar de ter feito um touchdown terrestre, lançou para menos de 90 jardas contra uma defesa que sede, em média, 237 jardas por jogo, além de terminar a partida com um rating de 39.9, número baixíssimo para um quarterback que tem a missão de liderar o ataque pelo resto da temporada.

A defesa, que vem apresentando certa melhora, ainda precisa evoluir muito para “carregar o piano” em direção a temporada vitoriosa. O pass rush dos Packers pouco incomodou Drew Brees, que tinha muito tempo para achar seus recebedores livres.  

O técnico Mike McCarthy tem muito trabalho pela frente se ainda almeja um título nessa temporada.

Uma das chaves para uma possível redenção de Greenbay é o jogo corrido. O calouro selecionado na quinta rodada,  Aaron Jones, vem superando todas as expectativas e fazendo uma excelente temporada. O ruinning back soma 346 jardas em seis jogos e média de 5,6 jardas por corrida, além de três touchdowns anotados.

A juventude de Jones aliada com a experiência dos tackles Bryan Bulaga e David Bakhtiari , abrindo caminhos para as corridas, podem ser uma alternativa interessante para o ataque enquanto Hundley não tem a confiança necessária para ser a principal arma do ataque.

Na defesa, nem tudo esta perdido. Apesar do pass rush não estar fazendo um bom trabalho pressionando o quarterback, a secundária vem melhorando a cada partida, somando quatro interceptações nos últimos três jogos. O corpo de linebackers conta com o talentosíssimo Blake Martinez, que faz muito bem a posição de middle linebeacker, dando a liberdade para que Clay Matthews jogue na sua posição de origem, pressionando a linha de scrimmage adversária e ajudando a conter as corridas.

As coisas não vão ser fáceis em Greenbay nessa segunda metade de temporada. Aaron Rodgers é uma peça insubstituível e o time terá que reinventar sua forma de jogar se quiser pelo menos uma vaga nos playoffs em uma divisão em que Lions e Vikings vem embalados. Cada semana será decisiva para os cabeças de queijo daqui pra frente.