Lutador é potiguar de Mossoró e tem sua academia em Natal | Divulgação/Bellator

Patricky Pittbull mira na disputa pelo cinturão dos pesos leves do Bellator

Lutador é potiguar de Mossoró e tem sua academia em Natal | Divulgação/Bellator
Lutador é potiguar de Mossoró e tem sua academia em Natal | Divulgação/Bellator

Lutador potiguar se prepara enquanto luta não é marcada

Após vencer o americano Ben Henderson, ex-campeão do UFC, na luta principal do Bellator 183, em setembro, o potiguar Patricky Pitbull não só vingou a derrota de seu irmão Patricio Pitbbull, que precisou abandonar o combate após sentir uma lesão na canela da perna direita e amargar um nocaute técnico diante  de Henderson em agosto do ano passado, como também se aproximou da oportunidade de disputar o cinturão dos leves, título conquistado em junho deste ano por Brent Primus diante de Michael Chandler no Bellator NYC, evento que contou com Chael Sonnen e Wanderlei Silva na luta principal.

Além de derrotar o ex-campeão do UFC Ben Henderson, outra vitória marcante também em 2017 foi diante de Josh Thomson, ex-campeão do extinto Strikeforce, por nocaute no Bellator 172, em fevereiro, impondo a Thomson a nona derrota de seu cartel.

O brasileiro soma quatro vitórias nos seus últimos cinco combates e está de olho no cinturão do invicto Brent Primus:

— O único que está na minha mira é o Brent Primus, eu penso muito nesta disputa de cinturão. Já derrotei dois grandes nomes da minha categoria de peso, já provei estar pronto para trazer o cinturão para o Brasil — conta o atleta potiguar.

No entanto, existe uma pedra no sapato do brasileiro, chamada Michael Chandler, um adversário perigoso, que venceu as duas lutas que teve contra Patricky. A primeira derrota foi na final do GP dos leves no Bellator 44, em 2011, por decisão unânime. Já o segundo revés aconteceu em junho de 2016, no Co-Main Event do Bellator 157, que terminou com um nocaute de Chandler logo no primeiro round da disputa pelo cinturão dos leves.

—O Chandler e eu estamos nos batendo desde o GP dos leves em 2011, ele já foi duas vezes o campeão categoria e com certeza nos encontraremos novamente. Eu desejo enfrentar o Chandler após tomar o cinturão do Brent Primus, devolver a derrota a ele em grande estilo — projeta.

AGUARDANDO O DUELO

O lutador segue agora em compasso de espera: a organização do evento ainda não definiu quando Patricky Pitbull entrará em ação novamente:

— Eu havia pedido para lutar em janeiro no evento de Los Angeles (EUA), quando Douglas Lima defenderá o cinturão contra o Rory MacDonald (ex-UFC), mas me sinalizaram que o card estava fechado. Achei interessante lutar em Los Angeles por ser um lugar onde tenho muitos amigos, inclusive o pessoal da Black House — revela.

A preparação para as lutas é feita em sua própria academia, a Pitbull Brothers, localizada em Natal-RN. Desde 2014, os irmãos Patricky e Patricio Pitbull contam com a experiência de Eric Albarracin, ex treinador do The Ultimate Fighter (TUF), que sempre vem dos EUA para fazer parte do camp e preparar o atleta de 31 anos.

— Minha preparação é feita em Natal, na minha academia. Também costumo trazer na maioria das vezes um atleta bom de wrestling para me ajudar na defesa de quedas. Meu preparador físico Nelson Bahia é daqui de Natal e fica em contato com o meu fisiologista Claudio Pavanelli, que está nos EUA. No camp também conto com um professor de kickboxing que foi formado comigo e os faixas preta de jiu-jitsu da academia – destaca.

Como todo bom nordestino, Patricky Pitbull é supersticioso e revelou uma sequência de rituais próprios de sua cultura, que costuma colocar em prática após os combates.

— Quando volto para Natal, gosto de comer sarapatel, camarão, carne de sol e um bode assado. Gosto de dançar aquele forrózinho que aqui é de lei — conta.

Com 18 vitórias e oito derrotas na carreira, chegou a hora de Patricky Pitbull conquistar seu primeiro cinturão. Ingredientes para isto não faltam. Sempre veloz e com um boxe afiado, o ano de 2018 pode ser o mais importante da carreira do lutador nascido em Mossoró, que segue aguardando a definição do Bellator para o próximo combate, seja contra Brent Primus ou Michael Chandler, a certeza é de que o Brasil estará muito bem representado.

RAIO-X LIVESPORTE.COM

Nome: Patricky Freire
Apelido: Patricky Pitbull
Categoria: Peso Leve
Nascimento: 21/1/1986 (31 anos)
Altura: 1,73m
Local de Nascimento: Mossoró/RN
Onde Mora: Natal/RN
Cartel: 18-8
Academia: Pitbull Brothers
Graduações: Faixa preta de jiu-jitsu e kickboxing