Peru vence Nova Zelândia e conquista última vaga para o Mundial da Rússia

Farfan: atacante celebra o primeiro gol marcado na vitória sobre a Nova Zelândia em Lima | Divulgação/FPF
Farfan: atacante celebra o primeiro gol marcado na vitória sobre a Nova Zelândia em Lima | Divulgação/FPF

A Copa do Mundo de 2017 será na Rússia, mas o ceviche e o pisco estão garantidos na festa. Quinto colocado das eliminatórias da América do Sul, o Peru venceu a Nova Zelândia por 2 a 0, no início da madrugada desta quinta-feira, no Estádio Nacional de Lima. Como o primeiro jogo, realizado na semana passada, em Wellington, terminou empatado em 0 a 0, a equipe peruana garantiu classificação para o mundial, o que não acontecia há 36 anos, garantindo a última das 31 vagas ainda em jogo. A última participação dos peruanos na competição tinha sido em 1982, na Itália.

Como é tradição nas repescagens internacionais, a classificação do Peru aconteceu de modo dramático. Sem poder contar com o atacante Paolo Guerrero, do Flamengo, suspenso por ter testado positivamente para um metabólico de cocaína ainda na fase regular das eliminatórias, a equipe precisava de um gol cedo, para desestabilizar o sistema de jogo defensivo da Nova Zelândia, campeã da Oceania. Demorou, mas aconteceu.

Empurrada por cerca de 50 mil torcedores, a seleção peruana abriu o placar aos 27 minutos. O são-paulino Cueva mostrou recurso. Com serenidade, superou a marcação e encontrou o Farfán livre. Já ambientado com a atmosfera russa, o atacante do Lokomotiv Moscou bateu forte, do centro da área. Embora estivesse bem posicionado, o goleiro Marinovic parece ter se assustado com o lance e aceitou: 1 a 0 para os donos da casa. Na comemoração, Farfan mostrou uma camisa nove: uma homenagem a Guerrero.

Atrás no placar, mas impulsionada pelo regulamento que privilegiava o gol qualificado, a Nova Zelândia se viu obrigada a abandonar a atuação defensiva, mas não conseguia chegar o ataque e, por pouco, o prejuízo não ficou maior ainda na primeira etapa: aos 41 minutos, Trauco surpreende com um chute de fora da área, mas o goleiro do canadense Vancouver Whitecaps espalmou e ainda brilhou no rebote, para afastar nova chance de Farfán.

Na segunda etapa, o técnico neozelandês Anthony Hudson promoveu a entrada do atacante Wood. Ágil e com muita movimentação, abriu mais opções para os All Whites, que criaram boas chances em seu melhor momento na partida. Aos quatro minutos, ele aproveitou bom cruzamento de Colvey e, de cabeça, obrigou Gallese a fazer importante defesa. Aos 15, novo duelo entre o atacante e o goleiro, que é vencido, mas Wood perde o momento de finalização e a bola sai pela linha de fundo, mas alívio dos 30 milhões de peruanos ligados na partida.

Tranquilidade mesmo, só a partir dos 27 minuto. No momento em que a Nova Zelândia controlava o jogo, o zagueiro Ramos aparece na área após cobrança de escanteio para ampliar, fazer 2 a 0 e deixar a vaga bem encaminhada. A partir de então, valeu a experiência sul-americana para administrar a pressão dos jogos decisivos. O resultado coroa o grande momento desta geração de jogadores peruanos, responsável por colocar o país em um honroso 19º lugar no ranking da Fifa. O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuckzynski, tinha prometido feriado nacional nesta quinta-feira em caso de classificação para o mundial.

Embora o jogo tenha acontecido durante a madrugada, já há repercussão e cumprimentos à seleção peruana nas redes sociais. Em sua conta oficial no Twitter, o Flamengo parabenizou os peruanos de seu elenco, Paolo Guerrero e Trauco, pela vaga. Em sua conta oficial, a Federação Peruana de Futebol celebrou: “A Rússia é vermelha e branca”.