Pickford salva, Inglaterra vence a Colômbia e encara a Suécia

Defesa do goleiro Pickford nos pênaltis colocou a Inglaterra nas quartas de final da Copa | Getty Images

Foi com muita emoção que conhecemos o último classificado às quartas de final da Copa do Mundo da Rússia. Na tarde desta terça feira (03), na Arena Spartak, a Inglaterra venceu a Colômbia, nos pênaltis, por 4 a 3 e garantiu presença na próxima fase do mundial contra a Suécia.

Em jogo típico de “Taça Libertadores da América”, o English Team saiu na frente no tempo normal, com gol do artilheiro da Copa, Harry Kane, mas o zagueiro colombiano Mina deixou tudo igual nos acréscimos. Nas penalidades, Pickford defendeu as cobranças de Bacca, e Dier garantiu a classificação dos ingleses.

EXCESSO DE VONTADE E FALTA DE INSPIRAÇÃO MARCAM O PRIMEIRO TEMPO

A partida começou de forma muito intensa para as duas equipes. Os ingleses eram mais organizados taticamente, enquanto os colombianos buscavam não oferecer espaço aos adversários. Na parte ofensiva pouco se criou ao longo dos 45 minutos iniciais. Uma das raras oportunidades da primeira etapa veio da cabeça do artilheiro da Copa, Harry Kane. Aos 15, após cruzamento de Trippier, o centroavante inglês tentou de cabeça, mas a bola saiu por cima da meta de Ospina.

Veja também: Leonardo Santos: Caminhos do Hexa – Os três mosqueteiros de Tite

O domínio inicial foi inglês, mas não durou muito. A Colômbia adiantou suas linhas e conseguiu equilibrar a partida. Os sul-americanos sofreram no setor de criação. Muito por conta da ausência de seu principal jogador: James Rodríguez. O meia sofreu uma lesão na panturrilha, e nem sequer foi ao banco de reservas. Quintero era o mais lúcido na meia cancha colombiana, e foi o responsável pela principal finalização da equipe de José Pekerman na primeira etapa, que parou nas mãos de Pickford.

Além da falta de criatividade no meio de campo por parte das duas seleções, o nervosismo também esteve presente no duelo. Por pelo menos três ocasiões, jogadores britânicos e colombianos se estranharam durante o primeiro tempo. O placar se manteve: 0 a 0.

INGLESES SAEM NA FRENTE, MAS COLÔMBIA EMPATA NO FIM

Os primeiros minutos da etapa final foram um espelho da inicial. Muita marcação, poucas chances de gol e nada de melhora técnica. O tento só poderia vir de uma forma: bola parada. E assim foi. O árbitro americano Mark Geiger alertou os atletas em campo a todo tempo sobre o “agarra-agarra” dentro da pequena área. O volante colombiano Carlos Sanchéz não deu ouvidos, e derrubou Harry Kane na área. Pênalti. O artilheiro da copa foi para a bola e marcou o seu sétimo na competição: 1 a 0 para os britânicos.

Após o gol, o English Team buscou administrar a partida. Com linhas compactas à frente da meta do goleiro Pickford, era difícil achar espaços no campo de defesa inglês. Os colombianos sentiram o gol e a pressão em cima do árbitro da partida aumentou, juntamente com o número de cartões amarelos do jogo.

Quando tudo parecia se encaminhar para uma classificação inglesa, tudo mudou e o jogo ganhou em emoção. Nos acréscimos, a seleção colombiana partiu, de maneira desordenada, em busca do gol de empate. Aos 47, Uribe acertou um petardo de fora da área, Pickford se esticou todo e fez uma defesa espetacular. No lance seguinte, em cobrança de escanteio, o goleiro colombiano foi para área inglesa, mas quem marcou foi o iluminado Yerry Mina. O zagueiro foi no quinto andar para deixar tudo igual e levar a partida à prorrogação: 1 a 1.

Empolgada com o empate no fim, a seleção colombiana voltou melhor para a prorrogação. Com o domínio do jogo, os sul-americanos protagonizaram as melhores chances da primeira parte do tempo extra. Falcão Garcia e Sanchez tiveram oportunidades, mas desperdiçaram. Nos últimos 15 minutos, a situação se inverteu. A Inglaterra se lançou ao ataque e buscou um bombardeio na área colombiana. Não surtiu efeito. Tudo igual. Vamos para as penalidades.

A disputa por pênaltis começou nos pés dos principais jogadores das duas seleções. Do lado colombiano, Falcao Garcia converteu, enquanto Harry Kane deixou tudo igual para os ingleses. Na sequência, Cuadrado e Rashford mantiveram a igualdade no marcador: 2 a 2.

A grande oportunidade colombiana surgiu quando Muriel fez o terceiro para a seleção sul-americana, e Ospina defendeu a cobrança de Henderson. Cenário perfeito para a Colômbia. Porém, logo após, Uribe acertou o travessão. Foi a oportunidade que Trippier teve para colocar os ingleses no jogo mais uma vez. Tudo ficou para a última cobrança. Bacca foi para a bola e viu Pickford crescer na sua frente e fazer a defesa. Restou a Dier bater forte e rasteiro para colocar a Inglaterra nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia.

Colômbia 1(3×4)1 Inglaterra

Local: Arena Spartak – Moscou (RUS)

Árbitro: Mark Geiger (EUA)

Assistentes: Joe Fletcher (EUA) e Frank Anderson (EUA)

Colômbia: Ospina; Arias (Zapata), D. Sanchez, Mina e Mojica; Barrios, C. Sanchez (Uribe), Lerma (Bacca), Quintero (Muriel), Cuadrado; Falcao Garcia.Técnico: José Pekerman

Inglaterra: Pickford; Walker (Rashford), Stones, Maguire, Trippier e Young (Rose); Henderson, Lingard, Delle Ali (Dier); Sterling (Vardy) e Harry Kane. Técnico: Gareth Southgate

Cartões amarelos: Barrios, Bacca, Cuadrado e Falcao (COL) – Henderson e Lingard (ING)

Cartões vermelhos: Não houve.

Gols: Harry Kane (ING – 12/2T) e Mina (COL – 48/2T)

Público: 44.190