Prêmio Osvaldo Paquetá festejou sua 6ª edição em Curitiba

Foto: Cassiano Correia/Photo Fight

No último sábado, 19, aconteceu a 6ª edição do Prêmio Osvaldo Paquetá na cidade de Curitiba, capital do Paraná. Ao todo 21 categorias conheceram seus vencedores, e mais 12 pessoas foram homenageadas pelo Óscar do MMA nacional, com transmissão ao vivo da Band Paraná.

O evento surpreendeu a todos quando em sua abertura apresentou um pouco da tradição nipônica, com direito a tambores reproduzindo a música tema do extinto evento de vale-tudo que consagrou vários lutadores curitibanos, o Pride.

Cerimônia de abertura do POP.

Com a apresentação da jornalista Renata Aymoré, bastante conhecida no mundo das lutas pele período que trabalhou no canal Combate, a cerimônia, após a apresentação cultural, seguiu com o presidente do POP, Cristiano Martins, fazendo uma justíssima homenagem a um dos grandes nomes do cenário da luta brasileiro, o saudoso Mestre Zito, falecido em 2016.

Outra homenagem bastante emocionante foi a de Carmen Casca-grossa e Carol Pinho, protagonistas da primeira luta feminina de vale-tudo no Brasil. A luta entre as duas completou 15 anos em 2018, e o presidente do Prêmio Osvaldo Paquetá decidiu homenagear as duas atletas, porém, um mês após o anúncio da homenagem, Carmen passou por uma amputação em parte da perna direita, em decorrência das complicações da diabetes, e, com todo seu esforço, fez questão de comparecer a cerimônia para receber a homenagem e agradecer a Deus a chance de estar viva e pronta para outra batalha.

Carmen Casca-grossa ao lado de Cristiano Martins.

“Quero agradecer ao Cristiano, pois, sem ele eu não estaria aqui recebendo este prêmio. Eu acabei passando por esse momento difícil no fim de 2018, por conta de uma pedrinha que me feriu no pé e depois aconteceram complicações. Fiz questão de vir pessoalmente receber esta homenagem, eu continuarei com os meus projetos sociais, aos poucos já estou dando aulas novamente. Obrigado a todos que me ajudaram, inclusive meu amigo Michel “Trator”. Obrigado Deus por esse momento!” – desabafa Carmen

As 21 categorias conheceram seus vencedores, com o Shooto, presidido por Dedé Pederneiras, faturando duas categorias, Evento não televisionado e card do ano, com o Shooto 85. O Amazonas fez bonito, faturando árbitro do ano, com Abraão Lincoln, arte gráfica, com Winicius Tarik, announcer do ano, com Bilmar Pereira, e Equipe do ano, com a RCT, representada pelo mestre Aloizio.

Bilmar Pereira com o Óscar de melhor announcer.

Na categoria lutadora do ano o troféu ficou com Ariane “Sorriso”, uma das mais fortes e promissoras lutadoras do cenário nacional, que em 2019 deve brilhar em uma grande organização do exterior.

“Fico muito feliz pelo reconhecimento, venho trabalhando duro para ganhar espaço e tenho certeza que ganhar o Óscar do MMA indica que estou no caminho certo. Espero que em 2019 minha carreira decole.” – conta Ariane

A cidade de Curitiba conheceu o terceiro bi-campeão da história do Prêmio Osvaldo Paquetá, mestre Flavio Almendra e Cristiano Marcello, respectivamente, já conseguiram o feito alcançado por Cassiano Correia, que venceu a categoria fotografia do ano nas edições de 2016 e 2018. Muito emocionado ao receber o Prêmio, Cassiano não segurou as lágrimas em vencer novamente a categoria de fotografia do ano na mesma edição em que seu mestre, e amigo pessoal, foi homenageado dando o nome do troféu honra ao mérito.

Cassiano Correia faturou pela segunda vez o POP.

“É difícil falar nessa hora, eu pensei em tanta coisa, mas é difícil controlar a emoção. Se hoje estou recebendo este prêmio agradeço ao mestre Zito, que acreditou em mim e me incentivou. Obrigado Curitiba, obrigado Brasil!” – desabafa Cassiano

O último homenageado foi o fundador da Chute Boxe, o mestre Rudimar Fedrigo, que recebeu das mãos de Cristiano Martins o troféu que levou o nome de um de seus discípulos, o Mestre Zito.

Rudimar Fedrigo sendo homenageado.

Com uma cerimônia digna da magnitude do Prêmio Osvaldo Paquetá, o sentimento de dever cumprido ficou no ar ao fim de mais uma edição do Óscar do MMA nacional. Os candidatos da próxima edição já estão sendo monitorados desde o dia cinco de novembro, que será a data início para analisar as categorias.

“Essa cerimônia significou o último batismo para o Prêmio Osvaldo Paquetá, estar na capital nacional da luta, um lugar difícil de agradar, mobilizar pessoas do Brasil inteiro a estar lá e terminar a Festa com todo mundo feliz com o que presenciou foi espetacular, o Prêmio é algo complicadíssimo de fazer, mas hoje a maturidade chegou, começamos a subir a montanha, Viva o MMA Nacional.” finaliza Cristiano Martins

 

Confira os vencedores do Óscar do MMA nacional em 2018

Lutador do ano

Henerson “Nenem”

Lutadora do ano

Ariane Sorriso

Lutador Revelação

Paccelli Afonso

Lutadora Revelação

Paula Bitencourt

Luta do ano

Caionã “Blade” contra Edy Silva no WOCS 51

Reviravolta do ano

Bia “Arlequina” sobre Alana Souza no SFT 6

Nocaute do ano

Daniel “Miojo” sobre Matheus Calabresa no Demolidor Fight 12

Finalização do ano

Cleiver Fernandes sobre Thiago Castro no Mister Cage 36

Equipe do ano

Renovação Coari Team

Treinador do ano

Gile Ribeiro

Fotografia do ano

Cassiano Correia

Arte Gráfica do ano

Winicius Tarik

Árbitro do ano

Abraão Lincon

Announcer do ano

Bilmar Pereira

Cutman do ano

Tatiane Canivelo

Cage Girl do ano

Raissa Fernanda

Card | Edição do ano

Shooto Brasil 85

Evento não Televisionado

Favela Kombat

Evento Televisionado

Shooto Brasil

Comunicador do ano

Rhodes Lima

Matéria do ano

Brasileira Superou o Vício em Crack e prepara estreia no UFC – Por Bruno Carvalho para o Portal UOL

Homenageados com o troféu mestre Zito de Honra ao Mérito

  • Carmem Casca Grossa
  • Cintia Lima
  • Isabella Carvalho
  • Rudimar Fedrigo
  • Kimberly Novaes
  • Tays Lemos Seixas
  • André Deh Loco Amaral
  • Tatiane Canivelo
  • Leandro Mamute
  • Claudio Lopes
  • Renata Aymoré