Rei CR7 aparece novamente e Portugal bate o Marrocos

Cristiano Ronaldo marcou, de cabeça, o gol da vitória de Portugal sobre o Marrocos | Getty Images

No Século XVI, o rei português Dom Sebastião montou um esforço militar e tentou uma cruzada no Marrocos. O conflito ficou conhecido como a Batalha dos Três Reis e terminou num retumbante fracasso luso, inclusive com o desaparecimento de vossa alteza. No Século XXI, Cristiano Ronaldo prova a cada jogo que é a maior lenda portuguesa de todos os tempos. CR7 decidiu mais uma vez e marcou o gol da vitória contra os marroquinos pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo. Este foi o quarto gol de CR7, artilheiro do Mundial até aqui. Além disso, o gajo estabeleceu novo recorde em sua carreira. Chegou ao 85º gol marcado pela seleção e é o jogador europeu que mais vezes balançou as redes vestindo a camisa de um selecionado nacional, superando Puskas, que fez 84 gols em partidas envolvendo seleções.

O jogo desta quarta-feira (20), em Moscou, era fundamental para as pretensões de classificação das duas equipes, que largaram sem vitórias na primeira rodada. Portugal estreou empatando em 3 a 3 com a Espanha, enquanto Marrocos já havia perdido por 1 a 0 para o Irã. A vitória dá a liderança provisória do grupo para os portugueses, que agora aguarda o duelo entre Espanha (1 ponto) e Irã (3 pontos). A derrota eliminou a seleção marroquina. Apesar de ter saído de campo com os três pontos, o time de Fernando Santos sofreu para segurar o ímpeto do adversário, que dominou as ações na maior parte do tempo, especialmente na segunda etapa. O toque de bola de Marrocos envolveu os portugueses, mas parou na falta de capricho na hora das finalizações e em boas intervenções do goleiro Rui Patrício. As duas seleções voltam a campo na próxima segunda-feira (25). Portugal enfrenta o Irã e Marrocos pega a Espanha. 

Assim como na estreia, contra a Espanha, a seleção portuguesa abriu o placar aos quatro minutos do primeiro tempo, novamente com Cristiano Ronaldo inaugurando o balançar das redes. Se em Sochi, no clássico europeu, CR7 fez seu primeiro gol de pênalti, desta vez ele marcou de cabeça, provando que tem vasto repertório. O começo promissor animou a torcida portuguesa em Moscou. Mas, em vantagem no marcador, a pressão esperada pelo segundo gol não aconteceu. Pelo contrário, Marrocos se organizou e passou a ter o controle da bola e povoar o campo de defesa português, mesmo sem muitas jogadas de perigo. O time de Fernando Santos não conseguia sair jogando, faltava articulação no meio-campo e a única opção era o chutão do goleiro Rui Patrício para a frente, buscando Gonçalo Guedes e Cristiano no comando de ataque. 

O craque do Real Madrid ainda arriscou um bom chute cruzado, aos 11 minutos, e a bola passou rente à trave direita de El Kajoui. Na sequência foi a vez dos marroquinos chegarem com Benatia, que obrigou o goleiro luso a fazer boa defesa após cabeçada firme. Ziyech arriscou chutes de fora da área duas vezes, num deles acertou a barreira e no outro parou em Rui Patrício. A pressão marroquina persistiu. Aos 27 minutos Amrabat reclamou de pênalti de Guerreiro, mas o árbitro não assinalou. Portugal só voltou a assustar na reta final do primeiro tempo. Cristiano Ronaldo serviu Gonçalo Guedes. O atacante do Valencia bateu de trivela e o goleiro marroquino evitou o segundo gol português. Marrocos retomou sua investida ofensiva. Belhanda desviou para a área, mas Benatia não chegou a tempo, na última chance antes do intervalo.

A segunda etapa seguiu roteiro parecido. Belhanda teve duas boas chances, mas esbarrou em Rui Patrício, logo na volta do intervalo. Benatia e Ziyech se revezaram em chances perdidas. O técnico português ainda tentou mudar o panorama sacando os inoperantes Bernardo Silva e João Mario, mas não adiantou. A pressão marroquina seguiu até os últimos minutos da partida. Isolado, Cristiano Ronaldo ainda teve chances em bola parada, mas desperdiçou cobrando falta na barreira. No final, Benatia teve a bola derradeira do jogo, mas chutou por cima da meta portuguesa. No apito final, alívio português e resignação marroquina. Marrocos ficou 20 anos de fora do Mundial, voltou apresentando momentos de bom futebol, mas nada suficiente para evitar a eliminação antecipada já na segunda rodada.

Portugal 1×0 Marrocos

Local: Luzhniki Stadium (Moscou – RUS)

Público: 78.011 torcedores

Gol: Cristiano Ronaldo (4′ primeiro tempo)

Arbitragem: Mark Geiger (EUA), Frank Anderson (EUA) e Joe Fletcher (CAN)

Portugal:Rui Patrício;Cedric, Pepe,Fonte e Guerreiro;William, João Moutinho (Adrien Silva) e João Mário (Bruno Fernandes); Bernardo Silva (Gelson Martins), que Gonçalo Guedes e Cristiano Ronaldo. Técnico: Fernando Santos

Marrocos: El Kajoui; Dirar, Da Costa, Benatia e Hakimi; Boussoufa, El Ahmadi (Fajr), Nordin Amrabat, Belhanda (Carcela-González) e Ziyech; Boutaib (El Kaab). Técnico: Herve Renard

Cartões amarelos: Adrien Silva (Portugal) e Benatia (Marrocos)