Sexta ediçao do Prêmio Osvaldo Paquetá acontecerá em Curitiba

Foto: Cassiano Correia/Photo Fight

Com a missão de difundir e honrar o MMA brasileiro e homenagear a memória do mestre que dá nome à premiação considerada o Oscar do MMA Nacional, “Prêmio Osvaldo Paquetá”, acontecerá em Janeiro de 2019, a próxima edição do evento que será realizada em Curitiba, uma das maiores sedes do MMA Brasileiro.

Homenagem as viúvas de mestre Carlson Gracie e mestre Osvaldo Paquetá.

O prêmio que foi criado em 2012, vai para sua 6ª edição e conta com a forte presença do público Curitibano, tendo em vista que nas duas últimas edições, os maiores vencedores do prêmio em diversas categorias, vieram de Curitiba.

“Já estava na hora de ir pra Curitiba e, por isso, eu espero que seja um grande sucesso, pois será em um lugar muito legal, que comporta mais de 1200 pessoas e é extremamente preparado com aproximadamente 4 telões, palco e auditório com estruturas impecáveis e iluminação de primeira. O lugar escolhido já foi, inclusive, local utilizado para realizar gravações de dvd de diversos shows. Na minha opinião acho que vai ser uma das cerimônias mais emocionantes e glamorosas do prêmio até hoje”, afirma o presidente do prêmio, Cristiano Martins.

Cristiano Marcello, bi-campeão do Prêmio.

Como funciona o prêmio?

A equipe responsável trabalha o ano todo coletando informações de todos os eventos e atletas nacionais e, de forma bastante criteriosa, através de uma banca de aproximadamente 20 pessoas espalhadas por todas as regiões do Brasil, escolhe cinco nomes em cada categoria e estes vão a júri popular no final do ano.

Quando começou?

O projeto iniciou há 7 anos, observando o World MMA Awards (Prêmio do MMA Mundial realizado pela revista Fighters Only) e, segundo Cristiano, a equipe pensou em fazer algo a nível Brasil. Por ter sido perto do falecimento do grande mestre Osvaldo Paquetá, decidiu-se então batizar o prêmio com o seu nome.

A primeira edição foi realizada na academia Nocaute, em Osasco. Devido ao grande sucesso, no ano seguinte mudaram para Maceió em um evento super conceituado dentro do Hotel Radisson, com direito a almoço para 500 pessoas. A cidade do Rio de Janeiro também já foi palco da premiação.

Cristiano Martins, presidente do POP.

E não foi fácil chegar aonde chegou. “O motivo de em um determinado ano não ter acontecido o prêmio, foi o fato de eu não ter conseguido apoio o suficiente para realizar a edição e fiquei desmotivado. Então, resolvi parar e depois que passou eu me arrependi, por isso retomei o projeto com força total, pois tenho a certeza que o prêmio é essencial para o esporte nacional”, admitiu Cristiano Martins.