Cris Cyborg: a brasileira defenderá o cinturão pela primeira vez | Lucas Lima/Uol

UFC 219: Cris Cyborg defende cinturão dos galos em Las Vegas

As atenções do mundo das lutas neste fim de semana estão voltadas para o UFC 219, que começa neste sábado, em Las Vegas (EUA). Além de ser o último evento no ano da maior liga de MMA do mundo, a edição marca a primeira defesa de cinturão da brasileira Cris Cyborg, que enfrentará a duríssima americana Holly Holm, primeira atleta a nocautear a estrela Ronda Rousey, sua compatriota.

A brasileira nascida em Curitiba tem 32 anos e um cartel quase perfeito: são 18 vitórias em 20 lutas. A única derrota na carreira foi em sua estreia no MMA profissional, em2005. De lá pra cá a única mácula em seu cartel foi uma luta sem vencedor (no contest) em 2011, quando fazia a terceira defesa de cinturão dos penas pelo extinto Strikeforce.

A brasileira soma 17 nocautes em 18 triunfos, o último quando conquistou o cinturão da categoria dos penas que foi recentemente criado no UFC e estava vago, a contemplada com joelhadas poderosas foi a norte-americana Tonya Evinger, que acabou nocauteada no terceiro round.

O poder de nocaute de Cris Cyborg é impressionante. Nove de suas 17 vitórias por nocaute aconteceram ainda no primeiro round. A principal explicação para o fenômeno está em seu Muay Thai afiadíssimo, como é próprio da academia Chute Boxe, uma das mais famosas do mundo, celeiro de strikers de onde saíram nomes como Anderson Silva e Maurício Shogun.

Lutando fora do Brasil desde 2008, Cris já esteve no card de dois eventos do UFC no Brasil, todos no peso casado (até 63,5kg) e terminando com nocaute da curitibana. Com as performances dominantes, o chefão do UFC, Dana White, resolveu criar a categoria feminina dos penas (até 65,7kg), talvez motivado por um vídeo que circulou na internet com o sofrimento de Cris Cyborg para atingir o limite de peso da categoria combinado e o medo de perder uma lutadora que, rapidamente, se tornou a mais temida de todos os tempos.

O cartel impressiona, mas nada indica que a brasileira terá vida fácil. Aos 36 anos, Holly Holm tem um histórico respeitado no esporte. A lutadora do Novo México enfrentou dificuldades após ganhar notoriedade ao ser a primeira a bater Rounda Rousey: emendou uma sequência de três derrotas consecutivas, encerrada após uma vitória sobre a brasileira Bethe Pitbull Correia. Seus ponto forte é um excelente boxe, que fez dela campeã mundial de médios.

UFC 219

30 de dezembro

Card Principal (1h de domingo)
Peso-pena: Cris Cyborg x Holly Holm
Peso-leve: Khabib Nurmagomedov x Edson Barboza
Peso-galo: Jimmie Rivera x adversário a definir
Peso-palha: Cynthia Calvillo x Carla Esparza
Peso-meio-médio: Carlos Condit x Neil Magny

Card Preliminar (22h de sábado)
Peso-meio-pesado: Khalil Rountree x Michal Oleksiejczuk
Peso-leve: Dan Hooker x Marc Diakiese
Peso-pena: Myles Jury x Rick Glenn
Peso-mosca: Louis Smolka x Matheus Nicolau
Peso-médio: Marvin Vettori x Omari Akhmedov
Peso-mosca: Tim Elliott x Mark De La Rosa

Horário de Brasília