Vasco joga mal e estreia com derrota na Copa do Brasil

O zagueiro Erazo foi uma das surpresas na escalação do Vasco, que adotou o esquema com três zagueiros, porém, a trinca de defensores não foi suficiente para parar o ataque do Bahia | Carlos Gregório Jr (CRGV)

Uma partida para se esquecer. Esse é o sentimento que ficou para o torcedor do Vasco, após a derrota por 3 a 0 para o Bahia, nesta quarta-feira (09), na Fonte Nova, pelo jogo de ida das oitavas-de-final da Copa do Brasil. O esquema com três zagueiros adotado por Zé Ricardo não fortaleceu o sistema defensivo, que sofreu com as jogadas de velocidade do Tricolor Baiano. O Gigante da Colina vai ter que lutar muito para reverter o resultado na partida da volta.

A etapa inicial começou animada. O Vasco diferente do habitual, jogando com três zagueiros, deu as cartas logo no minuto inicial com chute de fora da área de Rios. Porém, enganou-se quem achou que o Cruzmaltino ia comandar o jogo. O Bahia pressionava com jogadas pela direita e foi por ali que aconteceu a jogada do primeiro gol. Aos 18, João Pedro driblou dois adversários trazendo da ponta para o meio e chutou, a bola rebateu e sobrou nos pés de Zé Rafael. O meia chapou no ângulo de Martin Silva, marcando um belo gol: 1 a 0 Bahia.

E a pressão não diminuiu! O Gigante da Colina encontrava-se perdido defensivamente e era facilmente envolvido pelo rápido time da Fonte Nova. O segundo gol não demorou a sair: Aos 24, Vinícius cobrou falta na área, Edigar Junio subiu livre e testou para o gol: 2 a 0 para o Tricolor de Aço, que ainda desperdiçou oportunidades de construir um placar mais elástico no primeiro tempo.

Na segunda etapa, o panorama não foi diferente. O Bahia já ampliou a vantagem logo de início. Aos quatro minutos, Zé Rafael roubou a bola de Desábato e tocou para Vinícius. O meia bateu colocado, a bola beijou a trave e morreu no fundo das redes de Martin Silva: 3 a 0 para o Tricolor Baiano.

O Vasco não conseguia passar da linha que divide o meio-campo. O Bahia, aos poucos, foi diminuindo o ímpeto e não ameaçou tanto quanto no primeiro tempo. O jogo ficou morno e só foi ganhar emoção no final, quando Kelvin, após confusão na área, chutou no travessão, desperdiçando a melhor chance cruzmaltina na partida.

Os dois times se enfrentam novamente pelo jogo de volta da Copa do Brasil, só após a Copa do Mundo, no dia 16 de julho, às 20h, em São Januário. Pelo Brasileiro, o Vasco retorna a campo contra outro time da Bahia. O Cruzmaltino enfrenta o Vitória, no próximo domingo (13), às 16h, também na Colina Histórica.

Bahia 3  x 0 Vasco

Estádio Fonte Nova (Salvador-BA)

Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo – SP (CBF).

Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho – SP (FIFA) e Marcelo Carvalho Van Gasse – SP (FIFA)

Bahia: Douglas Friedrich; João Pedro, Everson, Lucas Fonseca, Léo; Gregore, Elton, Zé Rafael, Vinícius (Régis), Élber (Allione); Edigar Junio (Kayke). Técnico: Guto Ferreira.

Vasco: Martin Silva; Erazo, Paulão, Werley (Kelvin); Yago Pikachu, Desábato, Wellington, Bruno Cosendey (Wagner), Henrique; Caio Monteiro (Andrey), Andrés Ríos. Técnico: Zé Ricardo.

Cartões amarelos: João Pedro, Léo (Bahia) Wagner, Kelvin (Vasco)

Cartões vermelhos: Não houve

Gols:  Zé Rafael – Bahia (18’/1º tempo); Edigar Junio – Bahia (24’/1º tempo); Vinícius – Bahia (04’/2º tempo);