Wesley “Mutante” conta um pouco sobre seu início e se diz pronto para o compromisso no Favela Kombat 31

Foto: Forth Media

O clube Mauá de São Gonçalo, que abrigará a 31ª edição do Favela Kombat, terá em seu card principal uma das grandes revelações do MMA nacional. Aos 23 anos, Wesley da Silva Marques, conhecido como “mutante”, fará sua primeira luta em 2019 e enfrentará o perigoso Uemerson “King” Ferreira, em luta válida pela categoria dos meio-médios.

A última vitória de Wesley foi contra uma das jóias da TFT, o striker Jansey Jones. Sem sentir o peso de um adversário mais experimentado e também invicto, Wesley se mostrou um lutador versátil e com mãos pesadas, ao nocautear Jansey ainda no 1º round do WOCS 53.

Vindo de uma família de quatro filhos, Wesley sempre se sentiu diferente dos irmãos. Enquanto os seus três irmãos eram fascinados por futebol, ele era apaixonado por artes marciais.

“Eu sempre me senti diferente das outras crianças, já notava isso em casa. Tenho três irmãos, todos homens, e eles só queriam saber de bola. Eu sempre gostei de lutas, meu pai as vezes colocava pra assistirmos e eu ficava ali vidrado, queria fazer o mesmo que os lutadores.” – revela

Hoje aos 23 anos, o primeiro contato de Wesley com as artes Marciais foi aos 16 anos, quando iniciou no Kickboxing. O responsável por conduzir o atleta nesta nova jornada foi o seu atual mestre, Vinícius Cruz, que enxergou em Wesley potencial para que o jovem se tornasse lutador profissional.

Com o mestre Vinícius Cruz. (Arquivo Pessoal)

“Meu primeiro contato foi aos 16 anos, lá em Xerém. Com três meses já consegui minha primeira vitória, na comunidade da Vila Cruzeiro na Penha. Fiquei um tempo parado e depois comecei a treinar com meu mestre Vinicius Cruz. Onde o mestre está, eu também estou.” – conta

O crescimento profissional nos esportes de combate foi rápido, conquistando títulos no kickboxing e no Muay Thai, o jovem encarou um novo desafio e em 2015 iniciou sua carreira no MMA.

“Eu venho da trocação, tenho diversos títulos no kickboxing, modalidade que sou bicampeão carioca. No MMA iniciei em 2015 no Zone Fight, infelizmente das três lutas que fiz na organização apenas uma foi para o sherdog, as outras duas, por enquanto, se perderam. Estou tentando encontrar uma solução.” – conta

As lutas que Wesley se refere aconteceram no Zone Fight, que era presidido pelo ex-lutador de MMA Marcelo Kromos, já falecido, e que por ter um evento homônimo no Sherdog, acabou tendo os resultados excluídos do site de registros. O atleta fez três lutas no Zone Fight, todas com vitória, mas, apenas uma dessas lutas foram computadas posteriormente, pois essas contavam com registro de vídeo. Atualmente, registrado, Wesley possui duas vitórias e nenhum revés, quando, na verdade, deveria contabilizar quatro vitórias e nenhum revés.

Com uma rotina pesada de trabalho e treinamentos, Wesley, que recentemente foi pai, trabalha como frentista em um posto de gasolina, emprego de onde tira o sustento da família. Ele divide a rotina entre o trabalho e os treinos, além de separar uma parte do seu dia para cuidar da família.

“Eu levanto as 5h da manhã, é tudo bem intenso, tenho que me dividir. Meu trabalho é desgastante, sou frentista e as vezes fico bastante no sol. Saio as 2h da tarde do trabalho, passo em casa, fico um pouco com minha mulher e meu filho que acabou de nascer, e sigo para os treinamentos. Chego em casa por volta das 11h da noite. Minha rotina é desgastante, mas tenho certeza que as coisas vão melhorar.” – conta

Wesley em dia de trabalho no posto.

Os olhos do MMA nacional passaram a notar Wesley “mutante”, quando no WOCS 53, o pupilo de Vinicius Cruz, nocauteou uma das grandes jóias da TFT. O nocaute com 3m4seg do 1º round impressionou a todos no clube Oasis, inclusive o presidente do Prêmio Osvaldo Paquetá.

“Não foi um nocaute que surpreendeu apenas a nós que acompanhamos o esporte, com certeza foi algo que surpreendeu o próprio Jansey que está sendo cuidadosamente lapidado na TFT a alguns anos, inclusive quem fez a ponte pra ele treinar lá fui eu, acompanho o Jansey faz tempo, e ele se tornou uma das grandes promessas da TFT e quiça do peso no mundo, o Wesley fez o trampo, foi mais veloz e preciso e digamos que “roubou a cartola do mágico”, certamente entrou de cabeça no circuito e merece toda a nossa atenção daqui em diante” – relata Cristiano Martins, presidente do Prêmio Osvaldo Paquetá.

 

O convite, para enfrentar um dos grandes strikers da categoria, surgiu 24 dias antes da luta, o que possibilitou a preparação e o corte de peso de Wesley acontecerem de maneira programada.

“Meu mestre recebeu uma ligação, precisavam de um lutador striker da categoria 77. Eu confesso que não conhecia o Jansey, não me preocupei com o jogo dele, me preocupei em estar bem. Treino bastante para subir no cage e fazer meu trabalho, e foi isso que fiz.” – conta

O próximo desafio, marcado para o dia 13 deste mês, será o primeiro compromisso de Wesley em 2019. Pronto para alçar vôos maiores, o jovem pretende fazer pelo menos quatro lutas ainda este ano.

“Minha expectativa para 2019 é fazer pelos menos quatro ou cinco lutas, pelo menos. Quero vencer todas sem depender dos juízes, por nocaute ou finalização. É um ano especial, estou muito bem casado, meu filho nasceu a poucos dias, além dele, sou pai também de uma princesinha de cinco anos, de outro relacionamento, e quero dar a minha mulher e meus filhos um pouco de conforto. Tenho certeza que chegarei longe, todo esforço que estou fazendo agora será recompensado.” – Finaliza